A revisão acadêmica: tese, dissertação, artigo

A complexidade do processo de revisão e a imprecisão do próprio conceito requerem que, antes de aprofundar em aspectos práticos, seja conveniente especificar em termos teóricos sua essência, a tipologia de textos com que trabalhamos e as várias modalidades que podem ser cobertas.

Definição de revisão acadêmica

Aperfeiçoamento de um texto científico ou tecnológico a fim de eliminar problemas ortossintáticos e propor incrementos à textualidade e à comunicabilidade.
Nós sabemos o que fazer com uma tese: revisar e formatar à perfeição!
Revisão acadêmica é aquela que atende
às necessidades dos autores universitários.

Objetos específicos da revisão de textos científicos

No âmbito da produção acadêmica, trabalhamos com diversos tipos de textos, aplicando a todos o mesmo rigor linguístico e metodológico:
  • teses de doutoramento, de pós-doutoramento, livre-docência e concursos para professor titular;
  • dissertações de mestrado acadêmico ou profissional, TCC de graduação ou pós-graduação lato-senso, monografias de curso ou de concurso;
  • artigos para publicação em periódicos científicos, comunicações para congressos, relatórios de estágios ou de experiências, projetos de tese, dissertação ou para concursos de ingresso em pós-graduação.

A revisão acadêmica que fazemos

O revisor lê palavra por palavra, frase por frase o texto original e introduz suas correções ou observações. Nossa revisão acadêmica corresponde ao serviço completo de que o autor necessita, sem considerações de distinguir entre revisão e preparação, como alguns revisores fazem e como se pratica no mercado editorial. Normalmente, o texto completo é revisado, mas a revisão, às vezes, pode ser segmentada (limitada a uma parte ou certos aspectos do conteúdo, dependendo de determinadas circunstâncias e do que for pactuado), esse tipo de segmentação não é recomendável, mas é possível.
A revisão acadêmica compreende todos os aspectos ortográficos, morfossintáticos e estilísticos; coerência macro e micro textual; adequação ao registro culto na linguagem acadêmica, ou ao registro correspondente a cada segmento do texto. A revisão acadêmica aplica-se a todas as espécies de textos do gênero acadêmico.

Princípios da revisão acadêmica

Em a fim de realizar o trabalho da forma mais eficiente possível, o revisor deve orientar-se pelos seguintes pressupostos teóricos:
  1. presunção de boa qualidade do texto original;
  2. dedicação à revisão com esforço proporcional à importância do texto;
  3. segurança em rejeitar qualquer construção que considere deficiente;
  4. não reescreva o texto;
  5. não impor suas preferências pessoais em detrimento daquelas do autor;
  6. interferir entendendo a intensão do autor, não a expressão literal;
  7. consideração de que, quanto menos interferências forem feitas ou propostas, melhor;
  8. argumentação sempre com referências a fontes específicas, nenhuma interferência é justificada por si.;
  9. relevância em todas as interferências propostas;
  10. marcação de todos casos duvidosos e questionamento ao autor;
  11. compreensão de que a revisão moderna é processo dialógico;.
  12. consideração da revisão como processo de aprendizado, tanto para o revisor e para o autor;
  13. responsabilização da revisão pela equipe como todo;
  14. manutenção do direito sobre o texto revisado pelo autor, o trabalho do revisor é complementar e de assessoramento.

Procedimento de revisão acadêmica

Para descrever de forma prática o processo de revisão, as etapas do processo são apresentadas aqui sequencialmente. Essa é uma ordem ideal, dependendo do caso, etapas são fundidas ou desdobradas.
  1. Redação e entrega do texto: o auto entrega um texto original, indicando o tipo de serviço demandado, apresenta suas dúvidas e as soluções que deseja. A entrega deve ser feita em bom tempo, para que o trabalho de revisão possa ser realizado na melhor condição possível.
  2. Recepção e orçamento: após a recepção do texto original, é feito o orçamento e o revisor verifica os cronogramas de trabalho para garantir a pontualidade e os prazos do autor.
  3. Amostra de revisão: o revisor revisa uma parte do texto apresenta ao autor para aferição de critérios.
  4. Revisão propriamente: em consecutivas leituras, sempre que o revisor detectar um erro, omissão, adição, incorreção, incoerência ou falha, interfere indicando claramente por meio eletrônico e introduz as correções mecânicas necessárias para que possam ser facilmente incorporados no texto, apontando as sugestões de forma diferenciada.
  5. Concordância geral: uma vez que a correção de determinado elemento seja inserida, o revisor modifica o contexto, se necessário.
  6. Coerência geral: o revisor deve sempre ter em mente que a introdução de uma interferência em um ponto no texto pode exigir alterações em outras partes do trabalho.
  7. Diálogo com o autor: o revisor discute com o tradutor os pontos essenciais de suas interferências; isso pode ser feito diariamente, pelo envio de um “estado da arte” ao autor.
  8. Resolução de divergências: em caso de divergência, o auto e o revisor decidem o critério a ser adotado, prevalecendo, ao fim, a decisão do autor: ele é o dono do texto.

Conclusão: o revisor é responsável por interferências a serem propostas ao autor. Quando elas se referem a erro, omissão, repetição, incorreção, incoerência ou inconsistência; a diretriz é a fornecida no livro de estilo ou no guia de normas indicado; todas as sugestões de mudanças vão ao autor para sua apreciação.

Leia mais postagens: