A arte da revisão de textos

Quando um texto é dado como concluído, e antes da impressão para publicação, todos deveriam saber que a revisão é um passo necessário. Para alguns, parece uma etapa desagradável: “alguém vai mexer no meu texto?”. Para outros, trata-se de uma despesa a ser evitada: “revisão é um serviço muito caro!” – Pois experimente o custo de uma censura a seu texto por algum erro encontrado nele! Se existem os corretores eletrônicos integrados no software de processamento de texto e aqueles disponíveis na Internet, de qualidade maior ou menor, por que contratar um revisor profissional?

A busca por um bom revisor profissional

Um passarinho me disse que você precisa de um revisor profissional.
Revisar antes de enviar seu texto
é necessidade imperativa.
Quando você termina de escrever seu texto, se é para impressão ou para publicar na Web, um pequeno clique na ferramenta de correção ortográfica de seu programa de edição de textos e… zás! acabou. Oh, sério? Essas ferramentas internas apresentam a vantagem real de perceber e automaticamente relatar erros comuns de ortografia e gramática. Por conseguinte, são indispensáveis e seria muito insensato deixar de usá-las. No entanto, corretores eletrônicos nunca podem substituir a lógica e o reflexo de um cérebro humano. Quantos nomes próprios ou expressões de seu jargão profissional você já teve que inserir no dicionário dessas ferramentas? Você sabia que é possível inserir as palavras? Quantas palavras foram digitadas com algum erro e ele não foi percebido pelo corretor ortográfico? Quantas você viu e corrigiu, quantas você não viu e ainda estarão lá? Será que você acredita que que algum programa de computador vai, algum dia, poder substituir você em sua profissão? O mesmo em relação aos corretores ortográficos eletrônicos: corretores eletrônicos são uma ótima ferramenta, mesmo os revisores profissionais de textos a usam para redigir ou para revisar, mas são só uma aplicação útil, jamais substituirão os cérebros pensantes. Sugerimos que cada autor procure um bom revisor com quem estabelecer uma parceria duradoura. Um não existe sem o outro: os autores não podem escrever sem que o texto seja revisado, os revisores não terão objeto de trabalho se os autores não escreverem.

Por que escolher um revisor profissional?

Apesar de melhoria crescente em suas capacidades, os softwares de correção eletrônica, incluindo aqueles que são pagos, não observam necessariamente a inconsistência que houver em alguma frase, não captam a ironia, não entendem o “erro” proposital, por exemplo. O primeiro leitor de um manuscrito deve, sempre, ser seu autor – o segundo tem que ser um profissional: alguém com sólida formação linguística e uma série enorme de outras caraterísticas bem especiais. Quem melhor do que o linguista sabe os pensamentos por trás de cada palavra? O revisor profissional, especialista do código escrito, conhece as obscuras regras gramaticais e as armadilhas do texto – mas ele reconhecerá, principalmente, o autor como um ser pensante que deseja, com seu texto, estabelecer comunicação com outros seres pensantes que constituem o público-alvo daquele escrito. Computadores conhecem algoritmos e reconhecem desvios a eles; revisores conhecem pessoas e compreendem o texto como mensagem entre intelectos.

Revisar um texto demanda tempo e competência

Apesar de toda a boa vontade que pode ser empregada pelo autor para reler seu texto, o manuscrito, dependendo do seu tamanho, é susceptível de ser visto muito rapidamente por quem o escreveu: a pessoa já sabe o que está escrito e advinha as informações antes de as conferir. Após longas horas de pesquisa e de redação, a atenção diminui inevitavelmente. Mas a revisão efetiva do conteúdo e das palavras requer tempo, paciência e método. Da velocidade de leitura dependerá do número de falhas corrigidas e de melhorias sugeridas. O revisor profissional necessita ter tempo e calcula com precisão o prazo necessário, de acordo com a densidade do texto e seu tipo de escrita. Consultando continuamente dicionários, gramáticas e todos as ferramentas técnicas disponíveis, o trabalho do revisor é permanecer em cada frase tempo suficiente para compreender o significado dela e analisar a construção em profundidade. Várias releituras do mesmo texto são indispensáveis para entender o significado geral do projeto e aperfeiçoá-lo em relação à coerência global.

Revisar um texto requer bom senso e atenção

Trata-se da fase difícil para os corretores automáticos: detectar erro de sintaxe, desvio semântico, léxico inapropriado… As palavras são as certas? No lugar certo? A pontuação é essa ou aquela? O comprimento das frases está bom? Todos os detalhes são importantes para a boa compreensão do documento e apenas o profissional pode realmente detectar e corrigir, se necessário, ou sugerir modificações. Muitas vezes, é necessário ler várias páginas do mesmo documento para absorver a ideia a ser transmitida a um público-alvo bem definido. Ou reelaborar uma formulação para que a mensagem seja captada por um grupo de pessoas bem diferentes entre si. O revisor vai então despender tempo para voltar, reler, verificar novamente a harmonia do conteúdo, confirmar as impressões ou descartá-las, aperfeiçoar a ordem dos argumentos, conferir as conclusões.

Aperfeiçoar o texto requer objetividade

O texto vai sempre ser entendido pelo autor e quase sempre por sua equipe. O revisor traz um novo olhar, externo, para as palavras e estilo usados. Ele será capaz de notar a construção redundante na frase, a repetição desnecessária, o problema que passou despercebido ou a ideia que não esteja clara. O revisor conhece as convenções de escrita e pode, dependendo dos profissionais de sua equipe, orientar a programação visual para melhorar o layout do produto.
Todos estes elementos destacam a diversidade de competências do revisor profissional: ele tem a técnica e o condicionamento que a prática confere. Quando o projeto de texto é conduzido, a tese redigida ou o documento será enviado para impressão, nem todo mundo tem as habilidades para a revisão eficaz e inteligente. Revisão e reescrita muitas vezes requerem mais tempo que escrever. Mas a revisão é profissão de pleno direito que agrega valor ao manuscrito. A temática desenvolvida uniformemente, o texto limpo, enxuto, compreensível e impecável torna-se muito mais legível e atraente que outro documento mal revisado.
Jamais pule a etapa da revisão e dê a ela o tempo que for necessário; fazer isso é valorizar seu texto e tudo que já foi investido nele: tempo, esforço e dinheiro!

Leia mais postagens: