Atividades de revisão: definições e conceitos

O objetivo da revisão – uma série de leituras cuidadosas e metódicas de um texto com vistas a melhorá-lo, modificá-lo ou corrigi-lo – é assegurar a qualidade da língua e a eficácia da comunicação. No mundo em que, cada vez mais, as pessoas estão escrevendo originais de todos os tipos e para diferentes meios impressos ou eletrônicos, tornou-se essencial chamar especialistas para fazer a revisão linguística.
Convocado para colaborar com vários intervenientes ou intercessores na cadeia de operações entre texto original e o livro publicado ou a tese defendida, o revisor deve estar familiarizado com os papéis de todos os membros da equipe e demonstrar expressivas qualidades relacionais.
Revisão de textos primária, preparação e cotejamento: etapas lógicas.
A revisão de textos se processa em
sequência orgânica de etapas.
O revisor deve também ter as competências necessárias para realizar todas as fases da revisão de um documento. Isto implica um conhecimento aprofundado da língua, dos seus recursos e das suas dificuldades. Além disso, a pessoa que executa a revisão deve ter boa capacidade de sintetizar, analisar e solucionar ou propor solução para os problemas, deve também prestar atenção cuidadosa aos detalhes, abstendo-se de fazer alterações desnecessárias.
O revisor pode ser chamado para assumir funções como gerenciamento de projetos ou sua coordenação, preparação de índices, restauração de documentos ou editoração de material para a publicação. Estamos mencionando o conhecimento básico e as atividades fundamentais da revisão profissional, nomeadamente a revisão substantiva – ou revisão mecânica, a revisão de provas, a preparação de exemplares e o cotejamento (comparação) de textos.
Os tradutores profissionais também são demandados pela revisão comparativa dos textos traduzidos para o português. Essa atividade especializada, que representa uma faceta importante do trabalho de grande número de profissionais, presume o conhecimento de uma segunda língua. Como resultado dessa condição, a revisão comparativa não pode constituir um requisito fundamental para a revisão em português. Será, portanto, objeto de estudo separado e não vamos tratar dela aqui: não faz parte dos serviços que prestamos.

As descrições a seguir são usadas para identificar as principais tarefas inerentes à revisão e produção de um documento impresso ou eletrônico e agrupá-las de acordo com o processo lógico de revisão (revisão substantiva, revisão formal, preparação da cópia e finalmente revisão de provas / ou revisão primária, secundária… até a revisão final). No entanto, na prática, ocorre a sobreposição de tarefas e as variações do processo são inevitáveis.
O procedimento a ser seguido durante a revisão pode variar ainda segundo a necessidade de um documento para outro e de um projeto para outro, dependendo, por exemplo, da qualidade do texto inicial, da qualidade final desejada, das práticas estabelecidas na empresa ou da organização, método, rotinas e ferramentas de produção, variam ainda segundo os meios de comunicação escolhidos e, naturalmente, os orçamentos atribuídos.
A pessoa que tem o conhecimento necessário de língua e as habilidades descritas a seguir é capaz de trabalhar de forma independente e desempenhando revisão de boa qualidade.

Atividades de revisão de textos

Conhecimentos necessário para revisar

Em geral, o revisor deve ter conhecimento suficiente em relação a três áreas principais: a organização e produção do texto (linguística aplicada), o conteúdo da publicação (editoração), o layout e tipografia (design gráfico).

Revisão de primária, substantiva ou mecânica

A revisão substantiva implica uma leitura cuidadosa e metódica do texto com vista a adaptá-lo aos destinatários, clarificando seu conteúdo e reorganizando sua estrutura; é a revisão primária que vai “eliminar” os erros dos mais diversos tipos, trata principalmente de questões concretas sobre as quais a necessidade de interferência é pacífica.

Revisão da forma, secundária, ou de estilo

A revisão da forma visa melhorar o estilo do texto como todo pela atenção à sintaxe, ao vocabulário, à ortografia ou pela correção de pontuação, ela afere a coerência e a consistência materiais e infere a retórica proposta pelo autor, aprimorando-a.

Preparação da cópia

A preparação da cópia, ou de originais, consiste na uniformização e estandardização de um texto antes ou depois de revisado, a fim de torná-lo apto à paginação e impressão. A preparação inclue a aplicação das regras e convenções em uso, uniformemente, em todo o documento, informando o designer gráfico de quaisquer requisitos específicos que afetem a produção, ela impõe limites para a composição (layout) e afere critérios editoriais (manual de estilo) e formais (ABNT, APA, Vancouver, ISO…). Em determinadas circunstâncias, como as referentes aos textos acadêmicos, muitas dessas etapas estão agrupadas no serviço chamado de formatação.

Revisão de provas

A revisão de provas inclui qualquer verificação que se processe após o layout da página ou a etapa de integração do texto à Web. Seja a primeira verificação ou as subsequentes, é necessário examinar em particular a tipografia, a ortografia, a formatação do texto e todos os aspectos da apresentação visual, muitas vezas essa etapa se desenvolve em uma “boneca” do trabalho: uma impressão prévia, feita para tal fim.

Revisão comparativa

A revisão comparativa trata de assegurar que o conteúdo de uma publicação ou texto traduzido corresponda fielmente à versão original (por exemplo, em inglês). Normalmente, a revisão comparativa é feita, em primeiro lugar, ao preparar o conteúdo, após a fase de tradução e, em seguida, novamente, quando o documento é paginado ou pronto para ser colocado online. A principal diferença é que o texto original e o texto impresso (revisado e formatado) são colocados lado a lado para se conferir se houve desvios.

Leia mais postagens: