Revisão de textos e tecnologia: de ontem para hoje

“Uma máquina pode fazer o trabalho de 50 homens comuns. Não há máquina que possa fazer o trabalho de um homem extraordinário.” (Ebert Hubbard, escritor americano, 1856- 1915).
— Os robôs chegaram! Os robôs chegaram!
Computadores são excelentes ferramentas para revisão e tradução.
Revisores são seres humanos.
Pelo menos é o que a mídia está dizendo. Em muitos empregos, como na lavoura ou nas linhas de montagem, os robôs estão começando a ultrapassar os seres humanos e em breve tomarão seu lugar. Mas os revisores também estão na mira dos robôs (ou dos programas de correção ortossintática). Será que isso significa que nós revisores vamos perder o nosso sustento em poucos anos? Muitos jornais diários eliminaram a presença de revisores na redação, é verdade, mas muito jornais também já deixaram de ser impressos, outros deixaram de existir: não faz mais muito sentido imprimir notícias que ficam velhas antes de a tinta secar!
Nosso ofício de revisar está em risco? Não temos tanta certeza…

A lenta evolução da revisão automática

Nos anos 1950, os primeiros cientistas da computação pensaram que poderiam aplicar as técnicas da descriptografia usadas com sucesso durante a Segunda Guerra à revisão. Eles disseram que, afinal, as línguas eram apenas mais um tipo de código. Aqueles cientistas acreditavam que levaria alguns anos para encontrar o Graal (a máquina de revisão universal – ou os tradutores universais) e que ninguém jamais precisaria dos serviços de um intérprete ou revisor. Eles ainda trabalham no mesmo projeto 70 anos depois; evoluíram bastante, mas ainda estão a anos-luz de conseguir uma máquina pensante que faça o trabalho com textos com a inteligência humana.
Mas isso não quer dizer que nosso trabalho não mudou nada no mundo da revisão. Na verdade, praticamente tudo mudou. Primeiro os computadores pessoais, em seguida, a internet, revolucionaram o domínio da informação, aumentando exponencialmente o volume de produção de textos, matéria prima para os revisores. Também aumentou o número de leitores e eles passaram a estar espalhados pelo mundo afora. Autores e leitores continua precisando se entender e a mídia é o texto que, lido ou ouvido, precisa ser compreendido.

O antes e o depois da revolução da informática

Vamos fazer uma rápida comparação de revisão de textos antes e depois da revolução do computador. A coluna da esquerda descreve a etapa do processo de revisão. A coluna central mostra como as coisas eram antes dos computadores, de acordo com o que o meu… como eu diria… colega que têm mais experiência na vida me disse…. A coluna direita mostra a prática atual.

Quadro do processo de revisão antes e depois da revolução dos computadores
Etapa do processo
Idade da pedra
Era de a informação
Enviar de documento à revisão
O cliente envia o documento digitado, por um portador ou pelos correios, ao revisor.
O cliente envia um documento digital para o revisor por e-mail.
Arquivamento e consulta de versões anteriores do mesmo documento
O revisor abre suas pastas cheias de textos semelhante ou de versões anterior de mesmo texto e os coloca sobre a mesa para consultar.
Um software compara o texto de documento o conteúdo de um banco de dados de revisões anterior. O revisor pode consultar o banco de dados e ver os textos assemelhados.
Uso de dicionários
O revisor procura palavras em dicionários de papel impresso.
O revisor checa palavras em de dicionários eletrônicos e os neologismos pela internet em corpus e na mídia especializada.
Usar de bancos de termos
O revisor consultar um banco de termos em um catálogo em folhas ou em fichário próprio.
O revisor procura os termos em um banco de dados de terminologia on line, em qualquer parte do mundo.
Consulta de documentos de referência
O revisor é recorre à biblioteca para consultar uma seleção limitada de fontes confiáveis e de textos comparáveis.
O revisor navega pela internet para consultar uma quantidade quase infinita de informações e de textos comparáveis.
Revisão
O revisor imprime ou copia o o texto antes de o ler em papel.
O revisor trabalha em um software de editoração de textos e o revisa na tela.
Preparação da versão final
A cópia em papel anotada e passada a um datilógrafo que vai interpretar um emaranhado de signos de revisão.
A versão final é salva digitalmente. O autor, outro revisor ou o editor podem conferir diretamente no mesmo arquivo as interferências propostas.
Enviar de a revisão ao cliente ou à composição e impressão
O texto revisado é enviado ao cliente por correio ou por portador.
O cliente recebe a revisão pronta. Ele pode baixar o arquivo do servidor ou receber por e-mail.


Os benefícios para os revisores de hoje

Esta lista reporta apenas parte das muitas ferramentas de computador que os revisores utilizam no trabalho. Gosto de pensar que a interação entre a revisão e a tecnologia pode ser medida em uma escala de 0 (papel e caneta) para 10 (revisão totalmente informatizada). A maior vantagem dos avanços tecnológicos das últimas décadas é talvez simplesmente a variedade de possibilidades oferecidas por essa escala maciça de informações. A abundância de opções permite-nos usar a tecnologia que funcione melhor para nós ou para a tarefa em mãos. A tecnologia de hoje está sendo usada pelo revisor humano, que pode entregar um produto melhor em menos tempo.
Em suma, os robôs chegam, é verdade, mesmo que muito lentamente. E nossa experiência nos mostra que eles são nossos amigos. E para você, qual é a principal vantagem (ou desvantagem) da tecnologia linguística em seu vida?

Leia mais postagens: