Pular para o conteúdo principal

Licitação e tomada de preços para revisão de textos

Governo ou autarquias? Não, e muito obrigado.

Frequentemente, recebemos pedidos de cotação para serviços de revisão de textos para entidades públicas ou autarquias. Conhecemos os procedimentos envolvidos, mas não nos interessa participar de concorrências.

Nós agradecemos imensamente às instituições que nos procuram, querendo nos incluir em seus procedimentos de tomada de preços e de orçamentos para serviços de revisão de textos. Recebemos muitos pedidos nesse sentido, mas temos a política de recusar todos: não participamos de disputas por serviços a órgãos públicos por vários motivos, que passamos a explicar.
Temos prazer em atender pesquisadores em caráter privado, revisando-lhes teses e dissertações.

Em primeiro lugar, os serviços de revisão de textos são personalíssimos, isso significa que cada revisor tem procedimentos próprios, critérios pessoais e conceitos de escolas de revisão diferentes. Então, não se pode comparar por valores financeiros serviços que sejam diferentes em sua natureza. Revisão é um termo usado para muita coisa diferente; quando é de boa qualidade, estamos falando de muito mais que correções no texto. Normalmente, as instituições que solicitam orçamentos de revisão nem sabem bem o que estão solicitando e se perdem em equívocos conceituais e em quantificações insuficientes. Mesmo que a instituição saiba exatamente o que quer e saiba mesmo como escolher o melhor, vê-se forçada a optar pelo menor preço – e o menor preço não será o nosso.
Em seguida, as instituições públicas impõem seus calendários de execução de serviços e suas condições de pagamento. Não temos condição nem interesse de nos submetermos a critérios de agendamento que não sejam os nossos, nem nos submeteremos a condição de pagamento que não seja aquela com que trabalhamos normalmente: 30% do valor do serviço adiantado e o saldo na entrega. As instituições públicas pagam a posteriori, sempre com a demanda de mais um ou outro procedimento burocrático, quando pagam! Se não pagarem, ficamos a ver navios, pois acionar órgãos de administração direta ou indireta na justiça é mais perda de tempo e dinheiro. O caso é que não confiamos no Estado e em seus braços.
Mais ainda, grande parte dos pedidos de orçamentos para as instituições são meramente pró-forma: o escolhido está sacramentado e querem apenas nossa cotação para justificar administrativamente uma escolha que já está feita! Nesse caso, nosso trabalho de orçar é inútil, nosso precioso tempo perdido e a frustração garantida. Para não mencionar, nessa mesma linha, a pura e simples fraude no processo de licitação: o “eleito” apresenta o menor valor de serviço, por lauda, e depois é feita a “correção” com o ajuste da quantidade de texto submetida, o que livra o procedimento da auditoria, pois ninguém vai verificar a quantidade de textos efetivamente revisada em relação ao preço pago.
Por fim, não temos o hábito de fazer orçamentos de textos sem ter à vista o produto, pois há diversas qualidades de textos, mesmo em um mesmo gênero, portanto, é necessária a avaliação qualitativa dos originais para a quantificação e precificação. Adite-se que a quantificação se dá por critérios que não são uniformes entre os diferentes revisores e que as variações constituem mais um complicador do processo.
São muitas variáveis e incógnitas que tornam o procedimento licitatório ineficiente, muitas vezes inválido, frequentemente ilícito e quase sempre frustrante para quase todos os envolvidos. Então, não participamos.
Colocamo-nos à disposição de todas as pessoas físicas e instituições privadas que necessitarem de revisão de textos e ficamos honradíssimos com a escolha de nossos serviços por pessoas seríssimas e de grande competência. Desculpamo-nos com os funcionários e agentes públicos ou autárquicos por não atendê-los, mas preferimos manter essa política, já há algum tempo, depois de diversas frustrações e muito tempo e algum dinheiro perdidos. Será um prazer atender a todos, em caráter pessoal.

Postagens mais visitadas deste blog

Normas básicas de digitação

Vale a pena digitar corretamente. A digitação correta é uma prática em desuso. Quase ninguém mais se preocupa com conceitos básicos da datilografia que foram transposto à digitação. Entretanto, formatar uma tese ou dissertação é infinitamente mais complexo que saber digitar num processador de textos. Nada dispensa a boa revisão . Um dos motivos pelos quais  o trabalho do revisor é  indispensável é porque  ninguém mais digita como  se deve. Aqui estão alguns problemas que sempre identificamos nas digitações problemáticas: A lacuna que separa os elementos gráficos (por exemplo, entre duas palavras) deve ser feita por um e apenas um espaço. O recuo do parágrafo, o alinhamento recuado das citações ou das tabelas etc. devem ser feitos por tabulação (ou então pelo recurso de estilo ou modelo, dos programas de edição de texto do computador). Não há espaço antes da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos). Há um espaço (e apenas um) depois da pontuação (ponto, ponto-e-vírgul

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação. O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese , dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto. Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003). O que é um resumo? O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo com

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H! Depois de ter concluído a tese , é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato. O candidato se prepara redigindo o texto. A Kemelion prepara o texto, revisando e formatando. Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias . Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a m

Como escrever um texto acadêmico - as melhores dicas!

Aspectos gerais e específicos do texto acadêmico Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação.  Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação. Cada tipo de texto científico tem suas características. Familiarize-se com o tipo de texto que pretenda produzir. Antes de c

Como começar a escrever a tese ou dissertação

Dicas básicas para dar início à redação da tese Aqui vão algumas dicas para escrever teses e dissertações , ideias simples e práticas, para ajudar em problemas de como começar e como organizar, subdividindo a enorme tarefa em partes menos árduas para, em seguida, trabalhar nas partes.  Também vamos explicando, de maneira prática, como sobreviver à provação que a tese representa. Não é para ninguém morrer escrevendo a dissertação ou tese.  Estamos incluindo uma estrutura sugerida e orientação sobre o que deve haver em cada seção. Originalmente escrito para estudantes de pós-graduação ciências duras (física, matemática, engenharia), boa parte dos exemplos específicos fornecidos são tirados dessas disciplinas. No entanto, pode utilizado e apreciado pelos alunos de pós-graduação em várias áreas de Ciências e Humanidades.  Para começar a escrever a tese Quando você vai começar, escrever uma tese ou dissertação parece uma operação longa e difícil. Isto é porque é demorado e difícil mesmo!