Revisão de textos: princípios fundamentais

Se os revisores possuírem a competência necessária para a revisão, deverão seguir os princípios que definem a eficiência e o sucesso dessa tarefa. Os princípios fundamentais da revisão de textos podem ser resumidos como a “estratégia minimax” da revisão. Os revisores realizam seu trabalho de forma eficiente, produtiva e certamente lucrativa se se esforçarem para alcançar o máximo efeito com o mínimo esforço, ou seja, modificações mínimas.
Revisão de dissertação ou tese requer enorme
 bagagem cultural e conhecimento teórico.
Uma vez que a tarefa principal dos revisores seja afastar as eventuais interpretações equivocadas dos leitores, erros linguísticos ou gramaticais são considerados falhas graves, e nenhum erro notório pode subsistir no texto revisado. Portanto, os revisores precisam fazer todas as correções necessárias imediatamente após identificados os problemas, pois essa é a única maneira de alcançar o efeito máximo. Os revisores não só precisam indicar erros, como também precisam fornecer a alternativa correta, porque ninguém costuma verificar o texto depois de terminar de trabalhar nele – e isso se refere à maioria dos autores. É aconselhável, no entanto, que os revisores só façam intervenções quando estejam confiantes de que sua decisão está exata. Na dúvida, eles devem consultar a literatura atual sobre o uso da linguagem, recorrer a outros linguistas profissionais, ou podem discutir o assunto com o autor, a fim de encontrar a solução ideal. Durante a revisão, os revisores devem se esforçar por obter máxima consistência textual: ao decidirem interferir (excluir, substituir, adicionar, corrigir, inverter) no texto, eles devem fazê-lo uniformemente ao longo de todo o texto.
Os revisores também precisam estar cientes do fato de que a maioria dos novos erros introduzidos no texto pelo processo de revisão são causados por mudanças desnecessárias e injustificáveis pelo revisor. Todos os revisores são propensos a fazer hiperrevisão. Esse fenômeno uma característica universal da revisão, e é ainda mais notável em revisores em princípio de carreira. As alterações são consideradas desnecessárias quando não tornam o texto revisado mais correto ou preciso, mais claro, mais bem ajustado ao gênero ou melhor submetido ao cânone requerido – em comparação com o original – ou não melhoram a legibilidade para o público-alvo. Tais ações excessivas de intervenção são simplesmente perda de tempo e frustram os autores, o que não fomenta exatamente a cooperação profissional. Se os revisores buscam fazer as mínimas alterações possíveis, eles devem apenas fazer interferências que sejam necessárias e justificáveis, e sugestões em casos que convenha deixar ao autor a decisão de estilo ou de sentido, quando convier. Vale sempre ter em mente o propósito da revisão, pois, com base nisso, os revisores podem decidir o que conta como interferência necessária e em quais parâmetros focar durante seu trabalho.

Leia mais postagens: