Pular para o conteúdo principal

O revisor não erra sozinho

O revisor de textos não erra sozinho.

O erro de revisão pode ser devido a vários fatores. O revisor é apenas um dos sujeitos comprometidos com a qualidade.

Vamos refletir brevemente sobre o fenômeno das más revisões e como as responsabilidades delas são compartilhadas ao longo de toda a cadeia editorial – e até mesmo pela rede mais ampla, constituída pelo mercado de revisão e editoração em geral, assim como pela pressão dos autores por tempo e por preço. Se é verdade que o revisor está longe de ser o único a ter o mérito ao publicar uma obra, ao dar à luz um texto, ele também não é o único culpado por uma edição ruim e nem mesmo por revisão mal feita. O revisor não está sozinho – especialmente quando ele está errado.
Revisão de tese e dissertação bem feita é na Keimelion.
Na verdade, o revisor trabalha para não errar e sua luta é contra o erro dos outros.

Evidentemente que tudo, até mesmo nada, é melhor que uma revisão ruim. Em todos os casos, a atenção do autor e do leitor concentra-se, com uma análise implacável, mas necessária, nos erros de revisão presentes nos seus textos mal revisados: grande número de omissões, inovações terminológicas, imprecisões, erros estruturais que subsistam leva a concluir que às vezes, o resultado final não tem nada a ver com o original e, muito menos, com o produto desejado. A reflexão sobre quem é o “culpado” é amarga, mas obrigatória: porque uma revisão malfeita, quando é decididamente incorreta, falha, intromissiva, corre o risco de não apenas perverter as intenções do texto original, mas, acima de tudo, “anestesiar” o leitor menos treinado, empurrando-o para o hábito da leitura precipitada, fastidiosa, descuidada e da qual a crítica incidirá sobre o autor.
Existem editores que confiam o trabalho a “revisores” sem verificar sua capacidade com antecedência, certamente, para economizar dinheiro; os ditos revisores muitas vezes não são suficientemente competentes, seria necessária supervisão macroscópica – e treinamento acurando – antes de lhes ser confiado um mandato; ainda existem editoras que forçam o revisor a trabalhar em tempos muito escassos e em condições econômicas proibitivas; sobretudo, existe o departamento de marketing que agora conta mais que a equipe editorial na elaboração de um plano de publicações que deveria ser coerente – mas não é, voltado sempre à urgente preparação do próximo best-seller ou livro eletrônico, algumas vezes sem o mínimo de seriedade editorial e respeito para com o público ou os profissionais envolvidos.
A origem do problema seria, portanto, em última análise, uma questão de custos e de maximização de lucros: a publicação de livros é, principalmente em nosso pais, uma operação deficitária e há a tendência de economizar em tudo: portanto, o trabalho de revisores, como (frequentemente) o de tradutores, é precário, mal remunerado e mal reconhecido. No entanto, todas essas habilidades requerem (tanto para serem aprendidas quanto para serem exercidas) tempo, preparação e comprometimento, coisas que devem ser adequadamente recompensadas.
Uma visão menos míope, que se concentrasse no sucesso a longo prazo, deveria incluir essa realidade: porque um mercado editorial que faz uso de bons profissionais e em que há tempo e maneira de criar uma colaboração virtuosa entre todos seria aquele mercado em que o texto não corresse o risco de se afogar no esquecimento a que se destinam produtos de baixa qualidade.
São os próprios revisores (assim como os outros sujeitos mencionados da malha editorial) que deveriam demonstrar o quanto suas habilidades profissionais valem e o quanto ninguém está livre de culpa e mérito na linha de produção e publicação do texto; os próprios revisores devem ser invocados para sugerir maneiras de melhorar a situação: assumir a responsabilidade de recusar um trabalho que não se pode realizar a contento, a cada nova demanda da agência ou cliente; exigir salários justos ou remunerações adequadas pelos serviços; criar uma rede de colaboradores atenciosos e preparados, dentro e fora dos escritórios editoriais.
A solução que viria dos revisores não é surpreendente: o fato de o trabalho do revisor ser tão maltratado talvez seja devido à pouca visibilidade; assim, pouco se fala em revisão e pouco é revisado, muito pouco é revisado adequadamente, e a bem pouca visibilidade sempre significa controle deficiente das posições de mercado. Em vez disso, é precisamente demandando um controle adequado (sobre o trabalho de sua categoria e complementares) que os revisores devem exigir – principalmente pela manutenção de valores de remuneração compatíveis com a formação e experiência de cada um: é necessário compartilhar responsabilidades e satisfações com outros profissionais, isso significa abandonar o mito romântico que quer os revisores isolados do mundo lutando com seu texto (e enfrentando sozinhos a pressão das editoras ou dos clientes); sinta-se parte de um mercado editorial saudável, onde você pode finalmente ser ouvido e levado a sério.
As “boas práticas” de edição precisam, portanto, que os sujeitos envolvidos no processo (os revisores em primeiro lugar!) enfatizem a importância da estreita colaboração entre os profissionais do texto e a necessidade de o editor fazer escolhas de qualidade, baseadas não apenas no critério da melhor oferta, mas na verificação de habilidades, nas disponibilidades de tempo e na formação e experiência de cada profissional em função da exigência qualitativa demandada pelo texto.
Atitudes como essas (seguidas, esperamos, por resultados semelhantes), além de retirar nosso trabalho do anonimato, talvez possam levar a críticas cuidadosas e construtivas das revisões de textos, observados nelas os méritos bem mais que os defeitos – sabidamente mais visíveis até hoje.

Postagens mais visitadas deste blog

A revisão acadêmica: tese, dissertação, artigo

A revisão no universo acadêmico das teses.Uma tese bem revisada evita problemas e críticas desnecessárias na defesa. A complexidade do processo de revisão e a imprecisão do próprio conceito requerem que, antes de aprofundar em aspectos práticos, seja conveniente especificar em termos teóricos sua essência, a tipologia de textos com que trabalhamos e as várias modalidades que podem ser cobertas. Definição de revisão acadêmica Aperfeiçoamento de um texto científico ou tecnológico a fim de eliminar problemas ortossintáticos e propor incrementos à textualidade e à comunicabilidade.Objetos específicos da revisão de textos científicos No âmbito da produção acadêmica, trabalhamos com diversos gêneros de textos, aplicando a todos o mesmo rigor linguístico e metodológico: teses de doutoramento, de pós-doutoramento, livre-docência e concursos para professor titular;dissertações de mestrado acadêmico ou profissional, TCC de graduação ou pós-graduação lato-senso, monografias de curso ou de concurso…

A importância da formatação e da revisão

A importância do trabalho de um bom revisor.O processo de revisão de textos requer várias leituras. Depois de longos meses de trabalho, seu romance parece pronto para ver a luz – sua tese está prontinha para ser depositada. O volume está lá, em sua mesa, ele olha para você e só espera para ser publicado ou defendida. Você lê e relê, até não aguentar mais, tentando encontrar a menor das imperfeições. Tem certeza de que fez tudo? Nunca se tem essa certeza! Os erros se escondem bem. A forma de uma obra é tão importante quanto o seu conteúdo e alguns erros podem irreparavelmente arruinar o seu sucesso. Por esta razão, é realmente importante dedicar muita atenção à fase de formatação e revisão. Share on Tumblr

Fazer a formatação significa dar ao texto o cuidado pré-editorial, uniformizar a apresentação e, quando se trata de um texto acadêmico, aplicar rigorosamente aquele monte de normas que foram indicadas. A revisão é uma série de leituras cuidadosas destinadas a ve…

Revisão de teses – o que faz um bom revisor acadêmico?

Revisar teses e dissertações requer experiência.Selecionar o revisor, contratar e acompanhar o serviçoAo selecionar um serviço de revisão de tese ou dissertação, você compra o trabalho altamente individualizado de um revisor ou de uma equipe de revisores. Portanto, é importante saber que qualidades procurar nesse revisor, ou naquela equipe, porque garantir que você obtenha o profissional certo é a única maneira de ter certeza de que a revisão de sua tese seja feita segundo o padrão necessário. A primeira coisa a procurar – e isso é universalmente verdade para todos os revisores, independentemente do que eles estejam revisando – é a atenção imprescindível aos detalhes. Grande parte da tarefa do revisor é detectar erros muito pequenos, como hifens incorretos, ponto e vírgula representando dois pontos ou números notas de rodapé do lado errado de um ponto final. Perceber esses detalhes requer conhecimento linguístico, mentalidade crítica e treinamento profissional. Não apenas os detalhes, …

Etapas da revisão de textos

As etapas para uma boa revisão.Indicam-se algumas etapas no processo da revisão que garantam, quando seguidas, uma intervenção que elimine ambiguidades nas informações descrista na tese ou revisão. Além de saber exatamente qual é o propósito comunicativo do texto revisado, quais são as expectativas do cliente e dos destinatários e, consequentemente, o que levar em consideração durante a revisão, os revisores acham benéfico se puderem seguir etapas baseadas em um método cuidadosamente considerado e consciente. Sugere-se uma ordem ideal de etapas no processo de revisão, que, quando seguidas, garantam que os revisores possam focar em cada parâmetro adequadamente e no momento certo, que não percam nenhum aspecto do texto que precisa ser verificado, e que utilizem todos os elementos de sua competência nas fases apropriadas. É claro que o método sugerido se baseia em uma situação ideal, já que na realidade, pressionado por atribuições urgentes e prazos apertados, os revisores nem sempre têm…

Perfil de um bom revisor profissional

Perfil do revisor profissional.O revisor deve ter senso de comunicação e mente aberta, bem como ser excelente leitor e ouvinte, paciente e seguro.Em primeiro lugar, o revisor deve ter sólida formação linguística, capacidade de identificar e interferir segundo o gênero do escrito em tela, competência textual e editorial, proficiência em pesquisa, capacidade de aquisição e processamento de informações, bagagem cultural, bem como treinamento técnico-procedimental. O que o diferencia do autor – quanto à habilitação – é sua experiência no campo da textualidade, o domínio da mídia. O revisor deve ser alguém com a experiência necessária nos gêneros textuais envolvidos e que tenha os talentos necessários, um conjunto de qualidades específicas do revisor que tentaremos examinar com mais detalhes. Share on Tumblr
A revisão completa consiste em observar todos os mais diversos aspectos da textualidade e fazer as requeridas interferências – na verdade, não vemos sentido em ou…