Pular para o conteúdo principal

O revisor não erra sozinho

O revisor de textos não erra sozinho.

O erro de revisão pode ser devido a vários fatores. O revisor é apenas um dos sujeitos comprometidos com a qualidade.

Vamos refletir brevemente sobre o fenômeno das más revisões e como as responsabilidades delas são compartilhadas ao longo de toda a cadeia editorial – e até mesmo pela rede mais ampla, constituída pelo mercado de revisão e editoração em geral, assim como pela pressão dos autores por tempo e por preço. Se é verdade que o revisor está longe de ser o único a ter o mérito ao publicar uma obra, ao dar à luz um texto, ele também não é o único culpado por uma edição ruim e nem mesmo por revisão mal feita. O revisor não está sozinho – especialmente quando ele está errado.
Revisão de tese e dissertação bem feita é na Keimelion.
Na verdade, o revisor trabalha para não errar e sua luta é contra o erro dos outros.

Evidentemente que tudo, até mesmo nada, é melhor que uma revisão ruim. Em todos os casos, a atenção do autor e do leitor concentra-se, com uma análise implacável, mas necessária, nos erros de revisão presentes nos seus textos mal revisados: grande número de omissões, inovações terminológicas, imprecisões, erros estruturais que subsistam leva a concluir que às vezes, o resultado final não tem nada a ver com o original e, muito menos, com o produto desejado. A reflexão sobre quem é o “culpado” é amarga, mas obrigatória: porque uma revisão malfeita, quando é decididamente incorreta, falha, intromissiva, corre o risco de não apenas perverter as intenções do texto original, mas, acima de tudo, “anestesiar” o leitor menos treinado, empurrando-o para o hábito da leitura precipitada, fastidiosa, descuidada e da qual a crítica incidirá sobre o autor.
Existem editores que confiam o trabalho a “revisores” sem verificar sua capacidade com antecedência, certamente, para economizar dinheiro; os ditos revisores muitas vezes não são suficientemente competentes, seria necessária supervisão macroscópica – e treinamento acurando – antes de lhes ser confiado um mandato; ainda existem editoras que forçam o revisor a trabalhar em tempos muito escassos e em condições econômicas proibitivas; sobretudo, existe o departamento de marketing que agora conta mais que a equipe editorial na elaboração de um plano de publicações que deveria ser coerente – mas não é, voltado sempre à urgente preparação do próximo best-seller ou livro eletrônico, algumas vezes sem o mínimo de seriedade editorial e respeito para com o público ou os profissionais envolvidos.
A origem do problema seria, portanto, em última análise, uma questão de custos e de maximização de lucros: a publicação de livros é, principalmente em nosso pais, uma operação deficitária e há a tendência de economizar em tudo: portanto, o trabalho de revisores, como (frequentemente) o de tradutores, é precário, mal remunerado e mal reconhecido. No entanto, todas essas habilidades requerem (tanto para serem aprendidas quanto para serem exercidas) tempo, preparação e comprometimento, coisas que devem ser adequadamente recompensadas.
Uma visão menos míope, que se concentrasse no sucesso a longo prazo, deveria incluir essa realidade: porque um mercado editorial que faz uso de bons profissionais e em que há tempo e maneira de criar uma colaboração virtuosa entre todos seria aquele mercado em que o texto não corresse o risco de se afogar no esquecimento a que se destinam produtos de baixa qualidade.
São os próprios revisores (assim como os outros sujeitos mencionados da malha editorial) que deveriam demonstrar o quanto suas habilidades profissionais valem e o quanto ninguém está livre de culpa e mérito na linha de produção e publicação do texto; os próprios revisores devem ser invocados para sugerir maneiras de melhorar a situação: assumir a responsabilidade de recusar um trabalho que não se pode realizar a contento, a cada nova demanda da agência ou cliente; exigir salários justos ou remunerações adequadas pelos serviços; criar uma rede de colaboradores atenciosos e preparados, dentro e fora dos escritórios editoriais.
A solução que viria dos revisores não é surpreendente: o fato de o trabalho do revisor ser tão maltratado talvez seja devido à pouca visibilidade; assim, pouco se fala em revisão e pouco é revisado, muito pouco é revisado adequadamente, e a bem pouca visibilidade sempre significa controle deficiente das posições de mercado. Em vez disso, é precisamente demandando um controle adequado (sobre o trabalho de sua categoria e complementares) que os revisores devem exigir – principalmente pela manutenção de valores de remuneração compatíveis com a formação e experiência de cada um: é necessário compartilhar responsabilidades e satisfações com outros profissionais, isso significa abandonar o mito romântico que quer os revisores isolados do mundo lutando com seu texto (e enfrentando sozinhos a pressão das editoras ou dos clientes); sinta-se parte de um mercado editorial saudável, onde você pode finalmente ser ouvido e levado a sério.
As “boas práticas” de edição precisam, portanto, que os sujeitos envolvidos no processo (os revisores em primeiro lugar!) enfatizem a importância da estreita colaboração entre os profissionais do texto e a necessidade de o editor fazer escolhas de qualidade, baseadas não apenas no critério da melhor oferta, mas na verificação de habilidades, nas disponibilidades de tempo e na formação e experiência de cada profissional em função da exigência qualitativa demandada pelo texto.
Atitudes como essas (seguidas, esperamos, por resultados semelhantes), além de retirar nosso trabalho do anonimato, talvez possam levar a críticas cuidadosas e construtivas das revisões de textos, observados nelas os méritos bem mais que os defeitos – sabidamente mais visíveis até hoje.

Postagens mais visitadas deste blog

A revisão acadêmica: tese, dissertação, artigo

A revisão no universo acadêmico das teses.Uma tese bem revisada evita problemas e críticas desnecessárias na defesa. A complexidade do processo de revisão e a imprecisão do próprio conceito requerem que, antes de aprofundar em aspectos práticos, seja conveniente especificar em termos teóricos sua essência, a tipologia de textos com que trabalhamos e as várias modalidades que podem ser cobertas. Definição de revisão acadêmica Aperfeiçoamento de um texto científico ou tecnológico a fim de eliminar problemas ortossintáticos e propor incrementos à textualidade e à comunicabilidade.Objetos específicos da revisão de textos científicos No âmbito da produção acadêmica, trabalhamos com diversos gêneros de textos, aplicando a todos o mesmo rigor linguístico e metodológico: teses de doutoramento, de pós-doutoramento, livre-docência e concursos para professor titular;dissertações de mestrado acadêmico ou profissional, TCC de graduação ou pós-graduação lato-senso, monografias de curso ou de concurso…

Revisão de teses – o que faz um bom revisor acadêmico?

Revisar teses e dissertações requer experiência.Selecionar o revisor, contratar e acompanhar o serviçoAo selecionar um serviço de revisão de tese ou dissertação, você compra o trabalho altamente individualizado de um revisor ou de uma equipe de revisores. Portanto, é importante saber que qualidades procurar nesse revisor, ou naquela equipe, porque garantir que você obtenha o profissional certo é a única maneira de ter certeza de que a revisão de sua tese seja feita segundo o padrão necessário. A primeira coisa a procurar – e isso é universalmente verdade para todos os revisores, independentemente do que eles estejam revisando – é a atenção imprescindível aos detalhes. Grande parte da tarefa do revisor é detectar erros muito pequenos, como hifens incorretos, ponto e vírgula representando dois pontos ou números notas de rodapé do lado errado de um ponto final. Perceber esses detalhes requer conhecimento linguístico, mentalidade crítica e treinamento profissional. Não apenas os detalhes, …

Faça a revisão de sua tese ou dissertação conosco

Keimelion, revisores desde o século passado!Teremos grande prazer em prestar-lhe nossos serviços. Somos profissionais, estamos no mercado de revisão e formatação desde o século passado! Nosso serviço é completamente diferenciado, interativo e oferece um grau de qualidade e pontualidade que não tem concorrência! Revisão de texto acadêmico: todos os aspectos ortográficos, morfossintáticos e estilísticos; coerência macro e micro textual; adequação ao registro culto na linguagem acadêmica formal.Formatação normatizada: composição gráfica, editoração, diagramação segundo a norma indicada, criação de índices e sumários, legendas e tratamento de imagens, tratamento de imagens, gráficos, tabelas ou outros tipos de ilustrações.A formatação é feita segunda a norma indicada pelo cliente: ABNT, Vancouver, APA, e segundo as instruções da instituição a que se destina o texto. Ao cliente que contrata revisão e formatação, ao mesmo tempo, concedemos desconto de 50% sobre o valor da formatação. Para a …

Revisão de textos: princípios fundamentais

Princípios fundamentais de revisão de teses. Se os revisores possuírem a competência necessária para a revisão, deverão seguir os princípios que definem a eficiência e o sucesso dessa tarefa. Os princípios fundamentais da revisão de textos podem ser resumidos como a “estratégia minimax” da revisão. Os revisores realizam seu trabalho de forma eficiente, produtiva e certamente lucrativa se se esforçarem para alcançar o máximo efeito com o mínimo esforço, ou seja, modificações mínimas. Uma vez que a tarefa principal dos revisores seja afastar as eventuais interpretações equivocadas dos leitores, erros linguísticos ou gramaticais são considerados falhas graves, e nenhum erro notório pode subsistir no texto revisado. Portanto, os revisores precisam fazer todas as correções necessárias imediatamente após identificados os problemas, pois essa é a única maneira de alcançar o efeito máximo.  Os revisores não só precisam indicar erros, como também precisam fornecer a alternativa correta, porque n…

Licitação e tomada de preços para revisão de textos

Governo ou autarquias? Não, e muito obrigado. Frequentemente, recebemos pedidos de cotação para serviços de revisão de textos para entidades públicas ou autarquias. Conhecemos os procedimentos envolvidos, mas não nos interessa participar de concorrências. Nós agradecemos imensamente às instituições que nos procuram, querendo nos incluir em seus procedimentos de tomada de preços e de orçamentos para serviços de revisão de textos. Recebemos muitos pedidos nesse sentido, mas temos a política de recusar todos: não participamos de disputas por serviços a órgãos públicos por vários motivos, que passamos a explicar.
Em primeiro lugar, os serviços de revisão de textos são personalíssimos, isso significa que cada revisor tem procedimentos próprios, critérios pessoais e conceitos de escolas de revisão diferentes. Então, não se pode comparar por valores financeiros serviços que sejam diferentes em sua natureza. Revisão é um termo usado para muita coisa diferente; quando é de boa qualidade, estamo…