Pular para o conteúdo principal

Desafios na formação de revisores

Formação de novos bons revisores no Brasil

Uma reflexão sobre o ensino da revisão de textos não pode se limitar a contar uma experiência, por mais bem sucedida que seja – para defender a replicação da estratégia.

Da mesma forma, temos a veleidade de propor um programa ideal, uma espécie de modelo exemplar, do qual seria desejável chegar o mais próximo possível. Tal atitude pressuporia que a revisão fosse uma atividade singular, homogênea, claramente definida e perfeitamente limitada. A revisão começa e acaba por ser uma atividade plural, polimórfica e multidimensional. É por isso que tentar elaborar um quadro explícito para o ensino da revisão nos leva a questionar as circunstâncias em face. Se existem várias formas de revisão, o ensino também deve assumir formas diferentes. Além disso, qualquer ensino pressupõe recursos humanos e materiais que não são tão distribuídos ou, no caso da revisão, nem são abundantes.
Finalmente, o mercado de trabalho e as necessidades variam amplamente de país para país, o que restringe a replicação de um único modelo em escala global, e este não é o menor paradoxo nesta era de globalização. O ensino da revisão pode perseguir quatro objetivos principais:
  • discutir a teoria da revisão;
  • proporcionar a prática da revisão; 
  • formar futuros revisores profissionais; 
  • treinar formadores de revisores. Dependendo do objetivo, o ensino da revisão é organizado sob diferentes princípios.
 Esperamos que, ao longo do século XXI, seja possível propor uma estrutura de formação completamente diferente daquela bacharelesca e de cursos de pós-graduação (quase sempre caça-niqueis acadêmicos) que se limitam à retomada de gramática normativa temperada com alguma linguística aplicada. 
Após o ensino de Letras e a formação de professores de línguas fracassarem em capacitar revisores para o mercado, o paradigma da formação de revisores profissionais se transforma. A revisão não é mais vista como uma correção um pouco mais sofisticada e profunda, mas como processo de intercessão.

O melhor em revisão de textos é conosco.

Uma tese sem revisão profissional é um risco desnecessário.

Não se trata mais de colocar o texto em sua forma canônica, mas de promover o contato entre as pessoas: o autor de um texto e seu desejado leitor são os usuários da revisão desse texto. A revisão profissional, ao contrário da revisão pedagógica, aquela que se processa nos diversos níveis do letramento, tem dimensão funcional. O revisor atua como um relé na cadeia de comunicação, seu papel é “entender para fazer entender” (Durieux, 1995: 15). A teoria subjacente não é mais a linguística, mas a teoria comunicacional. Na verdade, o significado não está ligado às palavras, mas é construído a partir de palavras. Para isso, o revisor utiliza seu conhecimento linguístico, mobiliza seu conhecimento sobre o assunto e seus conhecimentos relacionados, muitas vezes solicitados por um jogo de analogia, leva em conta a situação de produção do texto reunindo todas as circunstâncias, o que lhe permite interpretar o escrito para fazê-lo emergir para significar. Então, o revisor se apropria da palavra; em outras palavras, é ele mesmo que ressignifica, por sua vez, para o leitor que agora é seu. Todo esse processo tem implicações para o ensino da revisão, tanto em termos de seu conteúdo quanto de sua organização.
Para formar revisores profissionais, o método de ensino é estruturado em duas etapas. Em primeiro lugar, o processo implementado na operação de revisão deve ser desmembrado para identificar as etapas sucessivas, isolá-las e fazê-las funcionar separadamente. Em segundo lugar, é útil familiarizar os revisores aprendizes com sua futura profissão, colocando-os em situações de simulação das condições de prática da profissão. Nesse sentido, o professor fará questão de fazê-los trabalhar em textos autênticos e integrais, constituindo algum tipo de exemplo representativo dos textos que enfrentarão em suas vidas laborais. Percebe-se que, embora a primeira fase dessa ação didática tenha o caráter fundamental que lhe confere escopo universal, a segunda está parcialmente subordinada às características do mercado de trabalho para o qual os revisores aprendizes são treinados. A primeira, a abordagem metodológica, consiste em uma série de conteúdos coordenados destinados a permitir que os revisores aprendizes adquiram um método de trabalho eficaz.

Postagens mais visitadas deste blog

Normas básicas de digitação

Vale a pena digitar corretamente. A digitação correta é uma prática em desuso. Quase ninguém mais se preocupa com conceitos básicos da datilografia que foram transposto à digitação. Entretanto, formatar uma tese ou dissertação é infinitamente mais complexo que saber digitar num processador de textos. Nada dispensa a boa revisão . Um dos motivos pelos quais  o trabalho do revisor é  indispensável é porque  ninguém mais digita como  se deve. Aqui estão alguns problemas que sempre identificamos nas digitações problemáticas: A lacuna que separa os elementos gráficos (por exemplo, entre duas palavras) deve ser feita por um e apenas um espaço. O recuo do parágrafo, o alinhamento recuado das citações ou das tabelas etc. devem ser feitos por tabulação (ou então pelo recurso de estilo ou modelo, dos programas de edição de texto do computador). Não há espaço antes da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos). Há um espaço (e apenas um) depois da pontuação (ponto, ponto-e-vírgul

Como escrever um texto acadêmico - as melhores dicas!

Aspectos gerais e específicos do texto acadêmico Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação.  Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação. Cada tipo de texto científico tem suas características. Familiarize-se com o tipo de texto que pretenda produzir. Antes de c

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação. O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese , dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto. Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003). O que é um resumo? O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo com

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H! Depois de ter concluído a tese , é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato. O candidato se prepara redigindo o texto. A Kemelion prepara o texto, revisando e formatando. Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias . Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a m

A importância da formatação e da revisão

A importância do trabalho de um bom revisor. O processo de revisão de textos requer várias leituras. Depois de longos meses de trabalho, seu romance parece pronto para ver a luz – sua tese está prontinha para ser depositada. O volume está lá, em sua mesa, ele olha para você e só espera para ser publicado ou defendida. Você lê e relê, até não aguentar mais, tentando encontrar a menor das imperfeições. Tem certeza de que fez tudo? Nunca se tem essa certeza! Os erros se escondem bem . A forma de uma obra é tão importante quanto o seu conteúdo e alguns erros podem irreparavelmente arruinar o seu sucesso. Por esta razão, é realmente importante dedicar muita atenção à fase de formatação e revisão. Share on Tumblr Seguir @keimelion Tweetar Fazer a formatação significa dar ao texto o cuidado pré-editorial, uniformizar a apresentação e, quando se trata de um texto acadêmico, aplicar rigorosamente aquele monte de normas que foram indicadas. A revisão é uma série de leituras cuidadosas