Pular para o conteúdo principal

Desafios na formação de revisores

Formação de novos bons revisores no Brasil

Uma reflexão sobre o ensino da revisão de textos não pode se limitar a contar uma experiência, por mais bem sucedida que seja – para defender a replicação da estratégia.

Da mesma forma, temos a veleidade de propor um programa ideal, uma espécie de modelo exemplar, do qual seria desejável chegar o mais próximo possível. Tal atitude pressuporia que a revisão fosse uma atividade singular, homogênea, claramente definida e perfeitamente limitada. A revisão começa e acaba por ser uma atividade plural, polimórfica e multidimensional. É por isso que tentar elaborar um quadro explícito para o ensino da revisão nos leva a questionar as circunstâncias em face. Se existem várias formas de revisão, o ensino também deve assumir formas diferentes. Além disso, qualquer ensino pressupõe recursos humanos e materiais que não são tão distribuídos ou, no caso da revisão, nem são abundantes.
Finalmente, o mercado de trabalho e as necessidades variam amplamente de país para país, o que restringe a replicação de um único modelo em escala global, e este não é o menor paradoxo nesta era de globalização. O ensino da revisão pode perseguir quatro objetivos principais:
  • discutir a teoria da revisão;
  • proporcionar a prática da revisão; 
  • formar futuros revisores profissionais; 
  • treinar formadores de revisores. Dependendo do objetivo, o ensino da revisão é organizado sob diferentes princípios.
 Esperamos que, ao longo do século XXI, seja possível propor uma estrutura de formação completamente diferente daquela bacharelesca e de cursos de pós-graduação (quase sempre caça-niqueis acadêmicos) que se limitam à retomada de gramática normativa temperada com alguma linguística aplicada. 
Após o ensino de Letras e a formação de professores de línguas fracassarem em capacitar revisores para o mercado, o paradigma da formação de revisores profissionais se transforma. A revisão não é mais vista como uma correção um pouco mais sofisticada e profunda, mas como processo de intercessão.

O melhor em revisão de textos é conosco.

Uma tese sem revisão profissional é um risco desnecessário.

Não se trata mais de colocar o texto em sua forma canônica, mas de promover o contato entre as pessoas: o autor de um texto e seu desejado leitor são os usuários da revisão desse texto. A revisão profissional, ao contrário da revisão pedagógica, aquela que se processa nos diversos níveis do letramento, tem dimensão funcional. O revisor atua como um relé na cadeia de comunicação, seu papel é “entender para fazer entender” (Durieux, 1995: 15). A teoria subjacente não é mais a linguística, mas a teoria comunicacional. Na verdade, o significado não está ligado às palavras, mas é construído a partir de palavras. Para isso, o revisor utiliza seu conhecimento linguístico, mobiliza seu conhecimento sobre o assunto e seus conhecimentos relacionados, muitas vezes solicitados por um jogo de analogia, leva em conta a situação de produção do texto reunindo todas as circunstâncias, o que lhe permite interpretar o escrito para fazê-lo emergir para significar. Então, o revisor se apropria da palavra; em outras palavras, é ele mesmo que ressignifica, por sua vez, para o leitor que agora é seu. Todo esse processo tem implicações para o ensino da revisão, tanto em termos de seu conteúdo quanto de sua organização.
Para formar revisores profissionais, o método de ensino é estruturado em duas etapas. Em primeiro lugar, o processo implementado na operação de revisão deve ser desmembrado para identificar as etapas sucessivas, isolá-las e fazê-las funcionar separadamente. Em segundo lugar, é útil familiarizar os revisores aprendizes com sua futura profissão, colocando-os em situações de simulação das condições de prática da profissão. Nesse sentido, o professor fará questão de fazê-los trabalhar em textos autênticos e integrais, constituindo algum tipo de exemplo representativo dos textos que enfrentarão em suas vidas laborais. Percebe-se que, embora a primeira fase dessa ação didática tenha o caráter fundamental que lhe confere escopo universal, a segunda está parcialmente subordinada às características do mercado de trabalho para o qual os revisores aprendizes são treinados. A primeira, a abordagem metodológica, consiste em uma série de conteúdos coordenados destinados a permitir que os revisores aprendizes adquiram um método de trabalho eficaz.

Postagens mais visitadas deste blog

Função do revisor como controle de qualidade

Função do revisor de textos.A revisão é uma forma de controle de qualidade apresentada pelo revisor no processo e no produto. Share on Tumblr
Todos reconhecerão que o autor, independentemente de sua formação e do gênero textual produzido, não pode fornecer versões impecáveis de seus escritos em todos os momentos. A questão que surge, então, refere-se à qualidade buscada pelo autor ou pelo serviço de revisão. Pode-se questionar a utilidade do controle de qualidade em relação ao custo que ele representa. Um autor pode decidir não revisar seu escrito, assumindo o risco de apresentá-lo com qualidade inferior à pretendida. Uma série de argumentos poderiam apoiar tal decisão: documentos de baixa importância ou escopo limitado, orçamento incompatível com o custo exigido por um serviço de revisão de alta qualidade – então, é o autor que assume conscientemente o risco de apresentar o texto de qualidade inferior. A revisão está associada à melhoria de qualidade textual em …

Revisão de textos: mediação gerencial

Revisão de textos e mediação gerencial,A forma como a gestão do projeto de revisão de texto se relaciona com o projeto em si e como ele se destaca dentre os concorrentes é determinada por uma abordagem prática baseada em estratégia. Share on Tumblr
O gerente de projetos de uma agência de revisão desempenha várias funções durante o ciclo de um projeto. Eles são polímatas no sentido clássico, desempenhando papel importante no sucesso dos projetos dos provedores de serviços linguísticos. Os diferentes aspectos que são necessários para a revisão profissional devem ser levados em consideração de acordo com as instruções do cliente.O revisor recém-recrutado, ainda que profissional experiente e bem qualificado, nem sempre está familiarizado com a ferramenta de assistência de revisão adotada e com as expectativas da agência, ele pode ter dificuldades em começar a trabalhar imediatamente ou em atender à sequência do trabalho tal como proposta.Nas agências de revisão, gera…

Revisão de textos: mediação funcional

Mediação funcional na revisão de textos.Observamos e compreendemos diversos modos de mediação relacionadas ao revisor de textos, algumas das quais completamente inerentes à atividade da revisão em sentido estreito, outras que se inserem na atividade do revisor em sentido mais largo; as primeiras, mais próprias do revisor, são as mediações linguísticas – que serão objeto de nosso último capítulo, e as seguintes são as mediações extralinguísticas – das quais trataremos agora, as quais dividimos em dois grandes grupos, para melhor compreensão: mediação funcional – de que trataremos neste capítulo, e mediação gerencial – no capitulo subsequente. Share on Tumblr

No contexto da explicação do psiquismo humano, o termo mediação é utilizado para designar a função que os sistemas de signos desempenham nas relações entre os indivíduos e deles com o meio. Se nós criamos instrumentos e sistemas de signos que nos permitem conhecer e transformar o mundo, à mediação dos sistemas…

Processos da formação do revisor de textos

A formação do revisor de textosVários objetivos estão associados ao ensino da revisão. Antes de tudo, na formação como revisores, os alunos devem receber a noção de retrospectiva, entendida como o duplo fato de que a revisão é separada do processo cognitivo de escrita e que o revisor se apresenta como o primeiro leitor do texto. 
Share on Tumblr
No papel ficto de destinatário privilegiado, o revisor representa mais o público-alvo do que personifica a autoridade competente: a figura nefanda do policial do texto. Procuraremos demonstrar neste tópico o modo pelo qual a teoria fundamenta a revisão profissional portanto, deve integrar a formação do revisor. Há questionamento feitos por revisores profissionais e, às vezes, até por empregadores, quanto à importância da teoria da revisão, do ensino da revisão e de sua prática; infelizmente, devemos apontar que esses questionamentos advêm de pessoas completamente alheias aos modernos conceitos de revisão. Apesar dos esfor…

Definições e a prática do revisor de textos

Práticas do revisor de textos.Ao tentarmos definir o revisor por suas ações, usamos as palavras intercessão, intervenção, interferência e mediação quase indistintamente, tomando uma pela outra, naquela primeira passagem, sem estabelecer as nuances de cada uma, num exercício de sinonímia e mesmo de esvaziamento semântico de cada uma delas para integrar os sentidos de todas elas e extrair, de cada uma, parte de seu significado – abandonando um pouco as significâncias. Naquele momento, esse jogo de palavras procurou definir um profissional pelas suas práticas, o que é uma forma aceitável, mas não completamente satisfatória; poderíamos ser acusados de tautologia: revisor é quem revisa, já que interceder, intervir e mediar um texto são atividades que expressam as práticas da revisão! Share on Tumblr
A revisão deve agora evitar se impor como processo de apontar problemas, mas tornando-se um procedimento mutuamente benéfico, em que avança o autor, mas também beneficia o…