Pular para o conteúdo principal

Estrutura dos textos acadêmicos: teses, dissertações, artigos

Introdução, material e métodos, resultados, discussão.

A estrutura de um texto acadêmico deve ser clara ao longo do texto e dentro de cada seção, parágrafo e até mesmo sentença.

Uma característica importante dos textos acadêmicos é que eles são organizados de forma específica; eles têm, necessariamente, estrutura clara e objetiva tanto quanto possível. Essa estrutura facilita que o leitor navegue melhor no texto e entenda a mensagem com mais exatidão. Ela também torna mais fácil para você organizar seu material.

Estrutura do texto inteiro e de cada seção

A maioria dos textos acadêmicos das ciências adere ao modelo chamado IMRAD, que é um acrônimo (do inglês) para introdução, métodos e materiais, resultados e discussão. O IMRAD é frequentemente ilustrado com a imagem a seguir (veja explicação abaixo).
A estrutura das teses e dissertações é sempre bem assemelhada.
Entenda bem as estruturas das teses, dos capítulos, dos parágrafos e das frases.
O modelo deve, no entanto, ser complementado com seções para questões de objetivos e pesquisas, pois elas compõem a própria espinha dorsal de um texto acadêmico nas ciências. Os objetivos geralmente aparecem no final da introdução, mas às vezes também depois de um título separado.
Abaixo está uma visão geral do que deve ser incluído em cada uma das seções do texto acadêmico, bem como conselhos sobre como estruturar seu texto e torná-lo mais coerente.
Share on Tumblr

Objetivo da pesquisa

O objetivo determina todo o texto acadêmico e o conteúdo encontrado em cada seção. O objetivo captura o que você pretendeu alcançar com seu estudo. Um exemplo poderia ser que o objetivo do estudo era “investigar o quão eficazes são as intervenções de enfermagem para a cessação do tabagismo”. É crucial que o objetivo seja consistente com todas as outras seções do texto. O título deve destacar os mesmos aspectos do estudo que seu objetivo determinou, e todas as seções subsequentes do texto devem responder ao objetivo, às questões levantadas e às hipóteses subjacentes aos objetivos.

Perguntas e hipóteses

O objetivo é muitas vezes bastante geral e pode ter que ser reduzido a questões de pesquisa. Em outras palavras, questões de pesquisa são perguntas específicas que permitem que você atinja seu objetivo. No exemplo acima, as perguntas da pesquisa poderiam ser: “Quais intervenções de enfermagem existem?” e “Quantos pacientes ainda estão livres de fumo após um ano?”. Lembre-se que deve haver uma ligação clara entre seu objetivo e suas perguntas de pesquisa, mas elas não devem ser idênticas. Só faça perguntas que o ajudem a cumprir seu objetivo.
Se você tem várias perguntas de pesquisa, você deve considerar como encadeá-las. Existe uma ordem lógica, em outras palavras, algumas perguntas só podem ser entendidas depois de ter lido outras? Algumas perguntas são mais importantes que outras? Coloque as perguntas de pesquisa em uma ordem que faça sentido para você e, em seguida, mantenha essa ordem durante o resto de sua tese, dissertação ou artigo.
Seu objetivo de pesquisa e o texto decorrente dela devem ser delimitados e estreitos, pois você só pode pesquisar uma pequena parte do mundo em seus estudos. Por essa razão, as seções que dizem respeito ao que foi feito no estudo – métodos e resultados – são bem estreitas no modelo IMRAD acima.
Introdução
Para tornar sua pesquisa delimitada, estreita e pessoal, interessante para os outros, no entanto, você deve colocá-la em um contexto maior. Por essa razão, a introdução do texto deve começar com algo muito mais geral do que suas questões de pesquisa e num contexto bem mais amplo que o de sua experiência pessoal. Costuma-se dizer que a introdução deve ser moldada como um funil (como é no modelo IMRAD acima). Isso significa que você deve começar de forma ampla e geral e, em seguida, gradualmente ampliar em seu próprio tópico, mais específico. O texto precisa começar com algo que seu leitor possa se relacionar, e que mostre ao seu leitor para que campo sua pesquisa contribuirá, bem como como ele vai fazê-lo.
A introdução deve fornecer tudo o que o leitor precisa saber para entender seu objetivo, bem como por que o objetivo é importante. Convencer seu leitor de que seu objetivo é importante muitas vezes implica mostrar que há algo que não sabemos, mas que nos beneficiaríamos de conhecer – talvez, para fornecer um cuidado melhor ou desenvolver um novo medicamento ou novo método de tratamento. Também pode implicar a indicação de que há um problema com um método existente e que são necessários métodos alternativos. Quando você apresentou o contexto e apontou para a importância de novos conhecimentos no campo, seu leitor estará bem preparado quando apresentar seu objetivo e pesquisar questões para o final da introdução. Como mencionado acima, as questões básicas da pesquisa são, às vezes, colocadas sob um título separado, que pode ser logo após a introdução.
Por favor, note que a introdução também pode ser chamada de pano de fundo. Às vezes, os dois termos são usados para se referir exatamente à mesma coisa; em outros momentos, eles se referem a coisas diferentes. Você pode ser solicitado a escrever uma pequena introdução que aumenta o interesse de seu leitor e dê uma ideia muito breve do conteúdo, seguida por uma seção de fundo mais extensa. Às vezes, suas instruções especificarão quais seções sua tese ou dissertação devem incluir e o que deve ser incluído em cada parte; às vezes as instruções não tratam disso – os orientadores apontam essas possibilidades a seus alunos. Nesse último caso, pergunte sempre sobre as alternativas e escolha a mais conveniente. Se você está escrevendo uma tese, você também pode, e deve, examinar teses anteriores em seu campo de conhecimento e, necessariamente, as de seu programa de pós-graduação, a fim de ter uma ideia do que elas geralmente incluem. Vale lembrar que essas teses podem diferir umas das outras significativamente, então nunca use apenas uma tese como modelo; olhe para várias. Lembre-se também que as instruções e as expectativas do mesmo orientador podem mudar, ou que orientadores diferentes podem ter opiniões convergentes.

Material e métodos da investigação

Na seção de métodos você deve mostrar ao leitor exatamente como você conduziu a pesquisa, ou seja, o que você fez para cumprir seu objetivo e responder às perguntas de pesquisa. Primeiro, seu leitor deve entender como você conseguiu os resultados alcançados e, segundo, depois de ler essa seção, eles devem ser capazes de duplicar sua pesquisa: repetir passo a passo os procedimentos – inclusive para conferir seus resultados ou para testar alguma variação ambiental, por exemplo. Mas o que significa “exatamente” como conduziu sua pesquisa? Tenha em mente os fatos significativos; como você conseguiu seus resultados e o que o leitor precisaria fazer para repetir o experimento. Desconsidere detalhes irrelevantes: você não precisa, por exemplo, dizer ao seu leitor que você foi à biblioteca ou que conversou com o bibliotecário. Nem você precisa contar aos leitores sobre todas as ideias que você tinha ou coisas que você queria fazer, mas não fez. Concentre-se no que você fez, e responda pelas escolhas que fez, quando necessário.
É útil se você começar sua seção de métodos escrevendo algo abrangente sobre seu método, como mencionar seu design de estudo. Se você disser aos leitores imediatamente que seu trabalho é uma revisão de literatura ou que seu método consistia em entrevistar enfermeiros usando entrevistas semiestruturadas, é mais fácil para o leitor entender os detalhes que seguem a declaração abrangente. Seu leitor precisa ser capaz de entender o propósito dos detalhes antes de ser apresentado a eles.
Resultados
Na seção de resultados, você deve explicar seus resultados de forma objetiva, sem interpretá-los (interpretar resultados é o que você faz na parte de discussão). Se você fez várias perguntas de pesquisa, você deve responder pelos resultados na mesma ordem que você colocou suas perguntas de pesquisa; a consistência ajudará a tornar o texto coerente e ajudará o leitor a entender as informações que você está apresentando.
Você pode ajudar seus leitores a compreender os resultados usando ilustrações como tabelas e gráficos ao apresentar os dados obtidos. As ilustrações devem estar claramente ligadas ao texto, mas você não deve repetir todas as informações fornecidas no gráfico. Em vez disso, contabilize os aspectos ou tendências mais importantes visíveis nas tabelas ou gráficos; em outras palavras, diga ao seu leitor o que você quer que eles observem. Observe que tabelas e gráficos devem ser compreensíveis sem ser necessário ler o corpo do texto, por isso, é importante que você inclua legendas que indiquem o que as imagens ilustram.

Discussão dos resultados obtidos

A seção de discussão no texto é onde você interpreta os resultados para o leitor. É a seção que é geralmente mais difícil de escrever, pois aqui você não está apenas escrevendo sobre algo que você já fez, você tem que escrever e analisar ao mesmo tempo. Todas as partes da discussão devem analisar seus resultados. Embora você possa ocasionalmente precisar lembrar ao leitor de pontos significativos de seções anteriores do texto, sua discussão não deve incluir muita repetição de dados ou da introdução, nem seus métodos e material ou de seus resultados. Leia a seção sobre os princípios do parágrafo e das frases iniciais de cada tópico e certifique-se de que cada parágrafo – exceto o primeiro – contenha alguma análise do seu tópico.

Um esboço comum da discussão é o seguinte:

  • No primeiro parágrafo, lembrar o leitor sobre o objetivo, de preferência sugerindo como você contribuirá para o campo. Você pode, por exemplo, escrever “Este é o primeiro estudo a examinar a correlação entre...”
  • Então você explica brevemente as partes mais importantes dos resultados, talvez vinculando-os à sua hipótese, se você tiver uma.
  • Você pode dizer que o primeiro parágrafo faz um atalho para a discussão: ele deve permitir que seus leitores entendam a discussão sem ler todas as seções de sua tese.
  • O resto da discussão deve analisar e discutir seus resultados.

Pode ser útil ter em mente as seguintes perguntas:

  • O que seus resultados significam?
  • Como os resultados se relacionam a pesquisas anteriores?
  • Quais são as razões para possíveis diferenças entre seu estudo e pesquisas anteriores?
  • O que as possíveis semelhanças indicam?
  • Como seu método pode ter afetado seus resultados?
  • Quais são os pontos fortes e fracos do estudo? Como eles afetam seus resultados?
  • Como seus resultados são importantes para os desenvolvimentos futuros? Quais são as implicações clínicas, por exemplo?
  • Que tipo de pesquisa é necessária no campo no futuro, e por quê?
Também é comum dividir a discussão em duas partes: uma discussão de resultados e uma discussão de métodos. Se você fizer isso, primeiro se concentre nos resultados do seu estudo e, em seguida, examine seus métodos.

Conclusão da tese, dissertação ou artigo

Em sua conclusão, você deve cumprir seu objetivo e explicar o que encontrou no estudo. Ao escrever a conclusão, você tem uma oportunidade de ouro para garantir que todas as seções de sua tese estejam conectadas e que o foco seja consistente em cada seção.
Lembre-se que a conclusão não é apenas uma breve repetição de seus resultados. Concentre-se, em vez disso, no que seus resultados podem implicar após cuidadosa consideração (a consideração que você esboçou em sua discussão).
No entanto, tenha em mente que o conjunto do que você encontrou em seu estudo não significa que você pode ou mesmo deve fazer afirmações absolutas; leis gerais não podem ser extraídas de um pequeno estudo, quase nunca. Concentre-se, em vez disso, no que seus resultados podem implicar, no que mais pode ser necessário pesquisar – e não dói notar que mais pesquisas são necessárias.

Questões estruturais do texto: coesão

A estrutura dos parágrafos

Tanto todo o texto quanto cada parágrafo que compõe o documento que você produzir devem aderir às convenções da estrutura de parágrafos em textos acadêmicos. Cada parágrafo deve começar com uma declaração ou frase abrangente que introduz o tema o resto do parágrafo, em seguida, aborda em maior especificidade e detalhe. Cada parágrafo também deve ser unificado: deve abordar apenas uma coisa ou ideia. Cada parágrafo também deve adicionar algo novo não encontrado em outro lugar no texto. Para obter uma estrutura clara em cada parágrafo, use frases de tópico: declarações sintéticas sobre o conteúdo daquele segmento de texto.

A estrutura das sentenças

A estrutura da frase também afeta o texto e a capacidade do leitor de entender as informações que você está apresentando. O que vem primeiro em uma frase, muitas vezes, parece mais importante do que o que a sucede. Leia mais sobre a estrutura das frases. Obedeça, sempre que possível, à ordem natural das sentenças: sujeito, verbo e complementos; evite, tanto quanto possível, orações excessivamente intercaladas, cheias de vírgulas, travessões e parênteses.
Tornando sua estrutura de frases clara, e indicando como diferentes partes se relacionam entre si. Uma estrutura clara também implica que diferentes partes estão claramente conectadas umas às outras. Duas maneiras de alcançar uma estrutura clara são usar palavras de transição e iniciar frases com o que seus leitores acabaram de ler. Todavia, evite a repetição das palavras de conexão, existem variações infindáveis delas para evitar a monotonia no texto.

Postagens mais visitadas deste blog

A importância da formatação e da revisão

A importância do trabalho de um bom revisor. O processo de revisão de textos requer várias leituras. Depois de longos meses de trabalho, seu romance parece pronto para ver a luz – sua tese está prontinha para ser depositada. O volume está lá, em sua mesa, ele olha para você e só espera para ser publicado ou defendida. Você lê e relê, até não aguentar mais, tentando encontrar a menor das imperfeições. Tem certeza de que fez tudo? Nunca se tem essa certeza! Os erros se escondem bem . A forma de uma obra é tão importante quanto o seu conteúdo e alguns erros podem irreparavelmente arruinar o seu sucesso. Por esta razão, é realmente importante dedicar muita atenção à fase de formatação e revisão. Share on Tumblr Seguir @keimelion Tweetar Fazer a formatação significa dar ao texto o cuidado pré-editorial, uniformizar a apresentação e, quando se trata de um texto acadêmico, aplicar rigorosamente aquele monte de normas que foram indicadas. A revisão é uma série de leituras cuidadosas

A revisão acadêmica: tese, dissertação, artigo

A revisão no universo acadêmico das teses. Uma tese bem revisada evita problemas e críticas desnecessárias na defesa. A complexidade do processo de revisão e a imprecisão do próprio conceito requerem que, antes de aprofundar em aspectos práticos, seja conveniente especificar em termos teóricos sua essência, a tipologia de textos com que trabalhamos e as várias modalidades que podem ser cobertas. Definição de revisão acadêmica Aperfeiçoamento de um texto científico ou tecnológico a fim de eliminar problemas ortossintáticos e propor incrementos à textualidade e à comunicabilidade. Objetos específicos da  revisão de textos científicos No âmbito da produção acadêmica, trabalhamos com diversos gêneros de textos, aplicando a todos o mesmo rigor linguístico e metodológico: teses de doutoramento, de pós-doutoramento, livre-docência e concursos para professor titular; dissertações de mestrado acadêmico ou profissional, TCC de graduação ou pós-graduação lato-senso, monografias de cu

Revisão de textos e SEO

O revisor costuma ser um dos primeiros a ter em mãos o manuscrito do autor.   Sua função é interferir no trabalho original buscando a perfeição , mas respeitando uma grande série de convenções. É necessário verificar a consistência do texto e, por vezes, assegurar o seu layout . Revisar um texto não é exatamente ir sobre ele e esperando detectar qualquer erro , todo erro e suprimir a possibilidade de erro. Se esse fosse o caso, muitos poderiam reivindicar ser revisores , bastando conhecer as regras mais comuns da língua, mas não é bem assim! Para revisar, antes de tudo, é necessário estar rigorosamente perto do perfeccionismo, mas é bem mais que isso. É claro, para os autores, os erros são muitas vezes tão sutis que ele nem sabe onde procurá-los. Para isso, é essencial recorrer a quem conhece as regras de  gramática (ortografia,sintaxe, conjugação, etc.), mas também de tipografia (caracteres, uso de maiúsculas, traços, etc.) e, sobretudo, é preciso encontrar um profissional compromet

Revisão de teses – o que faz um bom revisor acadêmico?

Revisar teses e dissertações requer experiência. Selecionar o revisor, contratar e acompanhar o serviço Ao selecionar um serviço de revisão de tese ou dissertação, você compra o trabalho altamente individualizado de um revisor ou de uma equipe de revisores. Portanto, é importante saber que qualidades procurar nesse revisor, ou naquela equipe, porque garantir que você obtenha o profissional certo é a única maneira de ter certeza de que a revisão de sua tese seja feita segundo o padrão necessário. A tese toda está em cada detalhe, o conjunto é o principal argumento. A primeira coisa a procurar – e isso é universalmente verdade para todos os revisores, independentemente do que eles estejam revisando – é a atenção imprescindível aos detalhes. Grande parte da tarefa do revisor é detectar erros muito pequenos, como hifens incorretos, ponto e vírgula representando dois pontos ou números notas de rodapé do lado errado de um ponto final. Perceber esses detalhes requer conhecimento linguístico

Etapas da revisão de textos

As etapas para uma boa revisão. Indicam-se algumas etapas no processo da revisão que garantam, quando seguidas, uma intervenção que elimine ambiguidades nas informações descrista na tese ou revisão . Além de saber exatamente qual é o propósito comunicativo do texto revisado, quais são as expectativas do cliente e dos destinatários e, consequentemente, o que levar em consideração durante a revisão, os revisores acham benéfico se puderem seguir etapas baseadas em um método cuidadosamente considerado e consciente. Sugere-se uma ordem ideal de etapas no processo de revisão, que, quando seguidas, garantam que os revisores possam focar em cada parâmetro adequadamente e no momento certo, que não percam nenhum aspecto do texto que precisa ser verificado, e que utilizem todos os elementos de sua competência nas fases apropriadas. É claro que o método sugerido se baseia em uma situação ideal, já que na realidade, pressionado por atribuições urgentes e prazos apertados, os revisores nem sempre