Pular para o conteúdo principal

Revisão de textos: mediação funcional

Mediação funcional na revisão de textos.

Observamos e compreendemos diversos modos de mediação relacionadas ao revisor de textos, algumas das quais completamente inerentes à atividade da revisão em sentido estreito, outras que se inserem na atividade do revisor em sentido mais largo; as primeiras, mais próprias do revisor, são as mediações linguísticas – que serão objeto de nosso último capítulo, e as seguintes são as mediações extralinguísticas – das quais trataremos agora, as quais dividimos em dois grandes grupos, para melhor compreensão: mediação funcional – de que trataremos neste capítulo, e mediação gerencial – no capitulo subsequente.
Evitar urgência e pechincha na hora de revisar texto: sabedoria
Share on Tumblr

No contexto da explicação do psiquismo humano, o termo mediação é utilizado para designar a função que os sistemas de signos desempenham nas relações entre os indivíduos e deles com o meio. Se nós criamos instrumentos e sistemas de signos que nos permitem conhecer e transformar o mundo, à mediação dos sistemas de signos constitui o que conhecemos como mediação semiótica. Os signos são representações que remetem ao objeto em virtude da relação artificial e variável que nós estabelecemos entre eles. Todavia, decifrar os signos é operação que transcende a interpretação sinalética imediata, pois implica um processo de análise totalmente abstrato. Trata-se de atividade mental que pode ser vista como o elo lógico que liga a sinalética à semiótica.

  1. A mediação textual, um viés da mediação linguística, tem conexões com aspectos semióticos; o discurso normativo surge como intercurso da mediação do revisor; nessa mediação funcional apontamos as atividades de controle como mediação.
  2. Algumas formas de planejamento e revisão são mais eficazes que outras e, dependendo do contexto de produção, os revisores fazem concessões entre a mobilização de recursos do processo de revisão e o custo que otimizem os resultados.
  3. A relação entre processos de planejamento, redação e de revisão e controle de qualidade dos documentos produzidos é abordada pela análise das etapas de processamento, comparação do manuscrito original com o texto revisado, medição de impacto do estresse laboral e cognitivo.
  4. As questões que o revisor deve considerar na atividade de intervenção nos escritos se agregam em discurso normativo que deve ser assimilado, compreendido e aplicado como sistema; há ainda normas e práticas consuetudinárias, o que confirma a ideia de instabilidade dos ritos da gênese editorial.
  5. A mediação linguística, como atividade comunicativa da revisão, inclui atividades nas quais o revisor desempenha o papel de intermediário, mediador entre diferentes interlocutores que falam o mesmo idioma.
  6. A dificuldade de comunicação pode resultar de diferenças de idioma ou terminológicas; falta de proficiência no outro idioma ou no registro; lacunas cognitivas, falta de informações relevantes, diferenças culturais ou déficits cognitivos e sensoriais.
  7. A mediação da linguagem e dos diversos modelos textuais e culturais na revisão necessariamente evoca, pela imagem como puro significante que antecede a construção de um significado, um sentido para o texto e para o mundo: o público-alvo.
  8. O discurso normativo do qual o revisor se torna parte, delineia-se na instabilidade que vai da inserção na mediação entre autoria e leitura perpassando todos os ritos da gênese editorial que ele mobiliza e nos quais também se inscreve o profissional como sujeito reflexivo.
  9. Existe forte relação entre a mobilização dos processos de planejamento e revisão e a qualidade do produto textual – essa relação integra a mediação de que tratamos.
  10. Buscando mediação, aprendemos a mediar, permitir que os sujeitos se tornem mais confiantes e independentes e diminuímos as lacunas entre sua própria experiência e o repertório linguístico e cultural.
  11. Alguns entendem que basta aplicar o molde da gramática normativa, dos dicionários e dos manuais de redação, como se as necessidades da comunicação não transpusessem os limites normativos das instituições.
  12. O papel de mediação praticado pelo revisor entre o autor e o leitor, exercido, muitas vezes sobre a mídia, passa a ser exercido em todo o processo editorial.

Postagens mais visitadas deste blog

Normas básicas de digitação

Vale a pena digitar corretamente. A digitação correta é uma prática em desuso. Quase ninguém mais se preocupa com conceitos básicos da datilografia que foram transposto à digitação. Entretanto, formatar uma tese ou dissertação é infinitamente mais complexo que saber digitar num processador de textos. Nada dispensa a boa revisão . Um dos motivos pelos quais  o trabalho do revisor é  indispensável é porque  ninguém mais digita como  se deve. Aqui estão alguns problemas que sempre identificamos nas digitações problemáticas: A lacuna que separa os elementos gráficos (por exemplo, entre duas palavras) deve ser feita por um e apenas um espaço. O recuo do parágrafo, o alinhamento recuado das citações ou das tabelas etc. devem ser feitos por tabulação (ou então pelo recurso de estilo ou modelo, dos programas de edição de texto do computador). Não há espaço antes da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos). Há um espaço (e apenas um) depois da pontuação (ponto, ponto-e-vírgul

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação. O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese , dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto. Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003). O que é um resumo? O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo com

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H! Depois de ter concluído a tese , é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato. O candidato se prepara redigindo o texto. A Kemelion prepara o texto, revisando e formatando. Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias . Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a m

Como escrever um texto acadêmico - as melhores dicas!

Aspectos gerais e específicos do texto acadêmico Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação.  Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação. Cada tipo de texto científico tem suas características. Familiarize-se com o tipo de texto que pretenda produzir. Antes de c

Como começar a escrever a tese ou dissertação

Dicas básicas para dar início à redação da tese Aqui vão algumas dicas para escrever teses e dissertações , ideias simples e práticas, para ajudar em problemas de como começar e como organizar, subdividindo a enorme tarefa em partes menos árduas para, em seguida, trabalhar nas partes.  Também vamos explicando, de maneira prática, como sobreviver à provação que a tese representa. Não é para ninguém morrer escrevendo a dissertação ou tese.  Estamos incluindo uma estrutura sugerida e orientação sobre o que deve haver em cada seção. Originalmente escrito para estudantes de pós-graduação ciências duras (física, matemática, engenharia), boa parte dos exemplos específicos fornecidos são tirados dessas disciplinas. No entanto, pode utilizado e apreciado pelos alunos de pós-graduação em várias áreas de Ciências e Humanidades.  Para começar a escrever a tese Quando você vai começar, escrever uma tese ou dissertação parece uma operação longa e difícil. Isto é porque é demorado e difícil mesmo!