Pular para o conteúdo principal

Revisão de textos: mediação funcional

Mediação funcional na revisão de textos.

Observamos e compreendemos diversos modos de mediação relacionadas ao revisor de textos, algumas das quais completamente inerentes à atividade da revisão em sentido estreito, outras que se inserem na atividade do revisor em sentido mais largo; as primeiras, mais próprias do revisor, são as mediações linguísticas – que serão objeto de nosso último capítulo, e as seguintes são as mediações extralinguísticas – das quais trataremos agora, as quais dividimos em dois grandes grupos, para melhor compreensão: mediação funcional – de que trataremos neste capítulo, e mediação gerencial – no capitulo subsequente.
Evitar urgência e pechincha na hora de revisar texto: sabedoria
Share on Tumblr

No contexto da explicação do psiquismo humano, o termo mediação é utilizado para designar a função que os sistemas de signos desempenham nas relações entre os indivíduos e deles com o meio. Se nós criamos instrumentos e sistemas de signos que nos permitem conhecer e transformar o mundo, à mediação dos sistemas de signos constitui o que conhecemos como mediação semiótica. Os signos são representações que remetem ao objeto em virtude da relação artificial e variável que nós estabelecemos entre eles. Todavia, decifrar os signos é operação que transcende a interpretação sinalética imediata, pois implica um processo de análise totalmente abstrato. Trata-se de atividade mental que pode ser vista como o elo lógico que liga a sinalética à semiótica.

  1. A mediação textual, um viés da mediação linguística, tem conexões com aspectos semióticos; o discurso normativo surge como intercurso da mediação do revisor; nessa mediação funcional apontamos as atividades de controle como mediação.
  2. Algumas formas de planejamento e revisão são mais eficazes que outras e, dependendo do contexto de produção, os revisores fazem concessões entre a mobilização de recursos do processo de revisão e o custo que otimizem os resultados.
  3. A relação entre processos de planejamento, redação e de revisão e controle de qualidade dos documentos produzidos é abordada pela análise das etapas de processamento, comparação do manuscrito original com o texto revisado, medição de impacto do estresse laboral e cognitivo.
  4. As questões que o revisor deve considerar na atividade de intervenção nos escritos se agregam em discurso normativo que deve ser assimilado, compreendido e aplicado como sistema; há ainda normas e práticas consuetudinárias, o que confirma a ideia de instabilidade dos ritos da gênese editorial.
  5. A mediação linguística, como atividade comunicativa da revisão, inclui atividades nas quais o revisor desempenha o papel de intermediário, mediador entre diferentes interlocutores que falam o mesmo idioma.
  6. A dificuldade de comunicação pode resultar de diferenças de idioma ou terminológicas; falta de proficiência no outro idioma ou no registro; lacunas cognitivas, falta de informações relevantes, diferenças culturais ou déficits cognitivos e sensoriais.
  7. A mediação da linguagem e dos diversos modelos textuais e culturais na revisão necessariamente evoca, pela imagem como puro significante que antecede a construção de um significado, um sentido para o texto e para o mundo: o público-alvo.
  8. O discurso normativo do qual o revisor se torna parte, delineia-se na instabilidade que vai da inserção na mediação entre autoria e leitura perpassando todos os ritos da gênese editorial que ele mobiliza e nos quais também se inscreve o profissional como sujeito reflexivo.
  9. Existe forte relação entre a mobilização dos processos de planejamento e revisão e a qualidade do produto textual – essa relação integra a mediação de que tratamos.
  10. Buscando mediação, aprendemos a mediar, permitir que os sujeitos se tornem mais confiantes e independentes e diminuímos as lacunas entre sua própria experiência e o repertório linguístico e cultural.
  11. Alguns entendem que basta aplicar o molde da gramática normativa, dos dicionários e dos manuais de redação, como se as necessidades da comunicação não transpusessem os limites normativos das instituições.
  12. O papel de mediação praticado pelo revisor entre o autor e o leitor, exercido, muitas vezes sobre a mídia, passa a ser exercido em todo o processo editorial.

Postagens mais visitadas deste blog

Competências para revisão de textos

Competências para a revisão de textos. A revisão de texto é um procedimento complexo de intervenções, inversões, supressões que visa aumentar a legibilidade de uma tese ou dissertação . Já que ninguém nasce revisor , nossas mãos não são guiadas por algum conhecimento místico que sentimos nos ossos enquanto checamos textos alheios. As habilidades necessárias para a revisão podem ser adquiridas por revisores praticantes enquanto trabalham, mas essas habilidades também podem ser aprendidas no treinamento prático organizado. Os revisores possuem competências específicas: possuem conhecimentos linguísticos e extralinguísticos necessários para a redação , estão perfeitamente cientes das expectativas da indústria do livro e das ferramentas tecnológicas que auxiliam na revisão, possuem as habilidades psicofisiológicas e cognitivas necessárias essenciais na profissão, bem como estão aptos à transferência  de competências estratégicas. Revisores reparam omissões, excluem adições desnecessárias

O que faz um revisor de textos

O trabalho do revisor de textos. A revisão é a atividade dos linguistas profissionais em que se aperfeiçoam as características do documento original que estejam aquém do aceitável, conforme determinado por algum conceito de qualidade ou segundo um manual específico, e em que se fazem quaisquer correções e melhorias necessárias e cabíveis. Mas o trabalho de revisão não é o mesmo sempre, depende do objeto – o documento escrito, depende da demanda de quem contrata o serviço e depende da finalidade do produto a ser entregue. Com alguns textos, por exemplo, o trabalho do revisor é restrito à correção : omissões, falhas de digitação, barbarismos, problemas de semântica e desvios das regras da linguagem padrão. Com outros textos, os revisores também devem fazer melhorias de fundo : melhorar a qualidade da escrita, fazer edição estilística; eliminar problemas de ambiguidade ou incoerência e fazer pequenos ajustes no sentido de melhorar a comunicabilidade: assegurar que o leitor vá entender

A importância da formatação e da revisão

A importância do trabalho de um bom revisor. O processo de revisão de textos requer várias leituras. Depois de longos meses de trabalho, seu romance parece pronto para ver a luz – sua tese está prontinha para ser depositada. O volume está lá, em sua mesa, ele olha para você e só espera para ser publicado ou defendida. Você lê e relê, até não aguentar mais, tentando encontrar a menor das imperfeições. Tem certeza de que fez tudo? Nunca se tem essa certeza! Os erros se escondem bem . A forma de uma obra é tão importante quanto o seu conteúdo e alguns erros podem irreparavelmente arruinar o seu sucesso. Por esta razão, é realmente importante dedicar muita atenção à fase de formatação e revisão. Share on Tumblr Seguir @keimelion Tweetar Fazer a formatação significa dar ao texto o cuidado pré-editorial, uniformizar a apresentação e, quando se trata de um texto acadêmico, aplicar rigorosamente aquele monte de normas que foram indicadas. A revisão é uma série de leituras cuidadosas

Perfil de um bom revisor profissional

Perfil do revisor profissional. O revisor deve ter senso de comunicação e mente aberta, bem como ser excelente leitor e ouvinte, paciente e seguro. Em primeiro lugar, o revisor deve ter sólida formação linguística , capacidade de identificar e interferir segundo o gênero do escrito em tela, competência textual e editorial, proficiência em pesquisa, capacidade de aquisição e processamento de informações, bagagem cultural, bem como treinamento técnico-procedimental. O que o diferencia do autor – quanto à habilitação – é sua experiência no campo da textualidade, o domínio da mídia. O revisor deve ser alguém com a experiência necessária nos gêneros textuais envolvidos e que tenha os talentos necessários, um conjunto de qualidades específicas do revisor que tentaremos examinar com mais detalhes. O revisor trabalha sempre em conjunto com o autor. Share on Tumblr Seguir @keimelion Tweetar A revisão completa consiste em observar todos os mais diversos aspectos da textualidade e fazer as

Função do revisor como controle de qualidade

Função do revisor de textos. A revisão é uma forma de controle de qualidade apresentada pelo revisor no processo e no produto.  Leia muito e escreva bastante. Revise conosco. Share on Tumblr Seguir @keimelion Tweetar Todos reconhecerão que o autor , independentemente de sua formação e do gênero textual produzido, não pode fornecer versões impecáveis de seus escritos em todos os momentos. A questão que surge, então, refere-se à qualidade buscada pelo autor ou pelo serviço de revisão . Pode-se questionar a utilidade do controle de qualidade em relação ao custo que ele representa . Um autor pode decidir não revisar seu escrito, assumindo o risco de apresentá-lo com qualidade inferior à pretendida. Uma série de argumentos poderiam apoiar tal decisão: documentos de baixa importância ou escopo limitado, orçamento incompatível com o custo exigido por um serviço de revisão de alta qualidade – então, é o autor que assume conscientemente o risco de apresentar o texto de qualidade inferior