Pular para o conteúdo principal

Redundância ou pleonasmo vicioso

Anteontem, chegando em casa, eu logo senti o cheiro de algo parecido com comida típica de inverno. Curioso, deixei a minha mochila no quarto e fui direto para a cozinha. Ao dar um beijo na minha mãe e dizer oi, eis que ela me diz: – Vá tomar banho para jantar, estou fazendo canja de galinha.
Pois é. Provavelmente você nem percebeu algo “fora do lugar” na frase dita pela minha mãe. Por ser tão comumente usado, geralmente nem identificamos na expressão “canja de galinha” um dos vários pleonasmos viciosos existentes.
PLEONASMO (do grego, pleonasmós = superabundância).
Pleonasmo quer dizer sobejidão de palavras, o qual então o cometemos muito quando se dizem algumas que se podiam escusar, como Oulhou-me com os seus olhos, e Falou-me com a sua boca: porque ninguém pode oulhar ou falar senam per olhos e boca própria.
(João de Barros, Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa, 1540, 36v)
"Opinião pessoal" é pleonasmo redundante.
O autor deve sempre estar atento a pleonasmos indesejáveis. O revisor vai checar isso também.

Pleonasmo é uma figura de linguagem, conhecida também como figura sintática ou de construção. Caracteriza-se pelo uso de palavras que não complementam o sentido da expressão, apenas o reforça. Assim sendo, é considerado desnecessário e em geral aceito pela norma exclusivamente quando o termo utilizado tem a finalidade de dar ênfase, mais expressão à oração, o que acontece, por exemplo, no campo literário:
“Eu canto um canto matinal”. (Guilherme de Almeida)
No caso acima, sabemos que quem canta, canta necessariamente um canto, pois não há como se cantar outra coisa. Logo, o uso é permitido pela famosa e costumeira ferramenta literária, a licença poética.
Porém, se sairmos do universo literário, este uso torna-se uma repetição inútil, viciosa. É conhecido também como pleonasmo vicioso ou redundância, e danifica a qualidade do texto. Assim, ocorre redundância nos casos em que, numa frase, repete-se a ideia já usada em termo expresso anteriormente na mesma frase, trazendo ao leitor uma informação desnecessária, que nada acrescenta ao sentido e ao entendimento da mensagem.
Em trabalhos acadêmicos, os pleonasmos são quase sempre indesejáveis; teses e dissertações não admitem esse tipo de construção. Cabe sempre aos autores evitar, mas os revisores de textos vão colaborar eliminando os que escaparem.
Por ser um erro popularmente conhecido, muitas pessoas identificam vários deles em diálogos do dia a dia, pois são utilizados frequentemente sem que os falantes percebem que, na verdade, são inadequados. Separamos em uma lista, a seguir, algumas das mais conhecidas e outras talvez nem sempre vistas como incorretas.
  • Acabamento final (um acabamento inicial seria difícil).
  • Agora já (são sinônimos).
  • Almirante da Marinha (só existe essa patente na Marinha).
  • Amanhecer o dia (em que lugar do mundo a noite amanhece?).
  • Amigo pessoal.
  • Antecipar para antes.
  • Aproximadamente quase.
  • Biografia pregressa.
  • Blitz relâmpago.
  • Bonita caligrafia (caligrafia já significa boa letra).
  • Brigadeiro da Aeronáutica (Só na Aeronáutica há o cargo).
  • Cerca de quase.
  • Competir com.
  • Completamente exausto.
  • Conclusão final.
  • Concorrer com.
  • Consenso geral (consenso é a uniformidade de pensamentos, opiniões...).
  • Conviver junto (não há como conviver separado).
  • Cujo o/ cuja a.
  • Decapitar a cabeça.
  • Demente mental.
  • Descer para baixo / subir para cima / entrar para dentro/ sair para fora.
  • Deu-me a mim.
  • E nem.
  • Elo de ligação (elo só pode ser de ligação).
  • Encarar de frente (impossível encarar de trás).
  • Exportou para fora.
  • Fraternidade humana.
  • Ganhar grátis.
  • Goteira no teto.Há muitos anos atrás.
  • Habitat natural (todo habitat é natural).
  • Hemorragia de sangue.
  • Hepatite do fígado.
  • História prévia.
  • Labaredas de fogo (labaredas são de fogo).
  • Lugar onde.
  • Manter o mesmo.
  • Mas apesar de.
  • Mas também.
  • Metades iguais.
  • Monopólio exclusivo.
  • Novidade inédita.
  • Países do mundo (de onde mais poderiam ser?).
  • Panorama geral.
  • Parâmetro de comparação/ referência.
  • Pequenos detalhes.
  • Perante a.
  • Pescar peixe.
  • Planos para o futuro.
  • Plebiscito popular.
  • Poça no chão.
  • Própria autobiografia (autobiografia só pode ser sua).
  • Protagonista principal.
  • Repetir de novo.
  • Sorriso nos lábios (impossível ser na testa).
  • Suposição hipotética.
  • Surpresa inesperada (se já esperava, não há surpresa alguma).
  • Todos são unânimes (com uma pessoa só não seria unanimidade).
  • Um único.
  • Viúva do falecido (ser viúva de alguém ainda vivo não é possível).
  • Vou ir.

Postagens mais visitadas deste blog

Normas básicas de digitação

Vale a pena digitar corretamente. A digitação correta é uma prática em desuso. Quase ninguém mais se preocupa com conceitos básicos da datilografia que foram transposto à digitação. Entretanto, formatar uma tese ou dissertação é infinitamente mais complexo que saber digitar num processador de textos. Nada dispensa a boa revisão . Um dos motivos pelos quais  o trabalho do revisor é  indispensável é porque  ninguém mais digita como  se deve. Aqui estão alguns problemas que sempre identificamos nas digitações problemáticas: A lacuna que separa os elementos gráficos (por exemplo, entre duas palavras) deve ser feita por um e apenas um espaço. O recuo do parágrafo, o alinhamento recuado das citações ou das tabelas etc. devem ser feitos por tabulação (ou então pelo recurso de estilo ou modelo, dos programas de edição de texto do computador). Não há espaço antes da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos). Há um espaço (e apenas um) depois da pontuação (ponto, ponto-e-vírgul

Como escrever um texto acadêmico - as melhores dicas!

Aspectos gerais e específicos do texto acadêmico Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação.  Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação. Cada tipo de texto científico tem suas características. Familiarize-se com o tipo de texto que pretenda produzir. Antes de c

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação. O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese , dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto. Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003). O que é um resumo? O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo com

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H! Depois de ter concluído a tese , é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato. O candidato se prepara redigindo o texto. A Kemelion prepara o texto, revisando e formatando. Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias . Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a m

Como começar a escrever a tese ou dissertação

Dicas básicas para dar início à redação da tese Aqui vão algumas dicas para escrever teses e dissertações , ideias simples e práticas, para ajudar em problemas de como começar e como organizar, subdividindo a enorme tarefa em partes menos árduas para, em seguida, trabalhar nas partes.  Também vamos explicando, de maneira prática, como sobreviver à provação que a tese representa. Não é para ninguém morrer escrevendo a dissertação ou tese.  Estamos incluindo uma estrutura sugerida e orientação sobre o que deve haver em cada seção. Originalmente escrito para estudantes de pós-graduação ciências duras (física, matemática, engenharia), boa parte dos exemplos específicos fornecidos são tirados dessas disciplinas. No entanto, pode utilizado e apreciado pelos alunos de pós-graduação em várias áreas de Ciências e Humanidades.  Para começar a escrever a tese Quando você vai começar, escrever uma tese ou dissertação parece uma operação longa e difícil. Isto é porque é demorado e difícil mesmo!